segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Chopin, a música do período romântico.

I - A música do Romantismo



A música do romantismo é aquela composta segundo os princípios da estética do romantismo, predominante durante o século XIX. Na história da música, corresponde ao período que se seguiu ao classicismo.

A Sinfonia nº 3 (Eroica), de Beethoven, obra de 1804, é por vezes considerada como o marco do fim do período clássico e do começo da música romântica. Porém, alguns musicólogos situam o início do romantismo na música já no final do século XVIII, enquanto outros consideram que o período romântico tem início por volta de 1810, ano em que o termo "romântico", antes apenas aplicado ao movimento literário, foi usado para qualificar Beethoven por E.T.A. Hoffmann (1776-1822), nos seus ensaios sobre a Sinfonia nº 5 . Já o final do romantismo na música é situado entre 1880 e 1910, a depender do autor. 

A época do romantismo musical coincide com o romantismo na Literatura, Filosofia e Artes Plásticas. A ideia geral do romantismo é que a verdade não poderia ser deduzida a partir de axiomas. Certas realidades só poderiam ser captadas através da emoção, do sentimento e da intuição. Por essa razão, a música romântica é caracterizada pela maior flexibilidade das formas musicais e procurando focar mais o sentimento transmitido pela música do que propriamente a estética, ao contrário do classicismo. No entanto, os géneros musicais clássicos, tais como a sinfonia e o concerto, continuaram sendo escritos.



II - Os Compositores do Romantismo


Podemos considerar que Beethoven, com o poder emocional de sua musica, foi o precursor do romantismo na música. O seu tempo coincidiu com a época da revolução francesa em que mais claramente se valorizava os direitos do indivíduo.  

Nesse período romântico, o instrumento de maior destaque foi o piano, e ele deu origem a muitos interpretes virtuoses. Apesar de os grandes concerto ainda serem valorizados, houve uma tendência para a música mais intimista feita para os salões. Os compositores passaram a escrever música também para interpretação de diletantes. 

A música da era romântica conquistou perenidade junto aos ouvintes. Ela continua a ser desfrutada por sua riqueza na invenção melódica e harmônica.  

Compositores: Beethoven, Franz Schubert, Franz Liszt, Frederic Chopin, Schumman, Strauss, Mendelssohn, Brahms, Tchaikovsky, Mahler, ...,.


III - Frederic Chopin





Frédéric François Chopin, também chamado Fryderyk Franciszek Chopin, nasceu na Polônia, na vila de Zlawzowa Wola no início de 1810. Seu pai era francês e por isso ele teve dupla nacionalidade. Fugiu da Polônia quando tinha a idade de 18 anos para escapar do domínio dos russos  que haviam invadido Varsóvia e ao quais ele se opunha. Radicou-se na França onde viveu até outubro de 1849 quando veio a falecer em 17 de outubro com apenas 39 anos de idade.  


Chopin é  amplamente conhecido como um dos maiores compositores para piano e um dos pianistas mais importantes da história. Sua técnica refinada e sua elaboração harmônica vêm sendo comparadas historicamente com as de outros grandes compositores, como Mozart e Beethoven, assim como sua duradoura influência na música até os dias de hoje. 

Histórico


Chopin começou a estudar música com seis anos. Com oito anos ele toca com uma orquestra e a imprensa já passa a tratá-lo como menino prodígio. O irmão do Czar russo, o grão duque Constantino o convida frequentemente para tocar na sua residência que ele ocupa em Varsóvia. 


Adolescência / Juventude


Chopin cresceu em uma família estabilizada, razoavelmente bem economicamente e cercada de afeto. Sua mãe era extremamente carinhosa e seu pai um intelectual que lhe fez aprender alemão e francês no seu período de Liceu. O seu pai frequentava círculos intelectuais com historiadores, poetas, matemáticos e músicos. 

No outono de 1826, Chopin começou a estudar teoria musical, baixo cifrado e composição musical com o compositor Józef Elsner, do Conservatório de Varsóvia


Em agosto de 1829, três semanas depois de sair do Conservatório de Varsóvia, incentivado por seu professor Elsner, Chopin fez uma brilhante estréia, em Viena. Ele fez duas apresentações de piano e recebeu muitas opiniões e comentários favoráveis, juntamente com outros que criticaram o baixo tom que ele produziu com o piano.

 Esta curta viagem não foi suficiente para ele. Como um grande artista ele sonhava com um reconhecimento internacional. A presença russa na Polônia também causava insatisfação em todos os jovens da época. Sua amiga Constance Gladkowska lhe escreveu: "Para a coroa de sua glória imperecível, você deve abandonar os queridos amigos e amada família. No exterior eles podem melhor apreciar e recompensar o seu talento"

Em 2 de novembro de 1830, Chopin deixou Varsóvia para dar concertos na Europa Ocidental. Ele nunca retornou à Polônia. Ao fim do mês, eclodiu o Levante de Novembro e sua companhia de viagem Titus Woyciechowski voltou para casa para participar. Chopin permaneceu em Viena, em certa ansiedade pelos seus entes queridos.

Desgostoso e com falta de dinheiro, Chopin deixou Viena em 20 de Julho de 1831 para tentar a sua sorte em Paris.  A viagem é feita por Salzburg, Munique, onde ele dá um concerto, e Stuttgart, onde permaneceu até início de setembro. Isto é onde a 8 de setembro, ele recebeu a notícia da queda de Varsóvia, sem saber o que aconteceu com sua família. É nesse contexto que ele chega em Paris em setembro de 1831.


Paris


O contexto político em Paris é favorável à causa polonesa. Muitos imigrantes juntaram-se na capital e formavam uma comunidade que ele frequentava nos  salões do Hôtel Lambert na Île de la Cité; ele também se torna um membro da Sociedade Literária Polonesa  e até mesmo realiza em 1835 um concerto de caridade em benefício dos refugiados.

Para sobreviver Chopin dá aulas de piano. Uma de suas alunas é a Condessa Potocka, e com a sua ajuda e a de Valentin Radziwill, Chopin se tornou o elegante professor de piano da aristocracia polonesa no exílio e dos círculos parisienses mais exclusivos.  Esta atividade, à qual dedica um quarto de sua existência é bem paga  e assegura a riqueza material. 


A amizade entre a Condessa Delfina Potocka, bela e rico protectora , e Chopin é baseada em um senso de respeito e estima mútua . Essa afinidade entre o músico e o meio aristocrático promove a expressão da dimensão artística de Chopin nos salões: "Ninguém pode rotular Chopin como compositor salão, mas no entanto, é nos salões  parisienses em que ele se identifica e recebe estímulo para desenvolver a sua música.


George Sand





De 1838 à 1847, Chopin desenvolveu um relacionamento sério com a escritora George Sand. Ela tinha trinta e quatro anos, dois filhos e já era rica devido ao sucesso de seus livros. 

No início de seu relacionamento, Chopin tinha vinte e oito anos de idade, e eles compartilhavam da atmosfera agitada de Paris. Logo depois eles passaram a ficar mais isolados e dedicados aos seus trabalhos e foi quando George Sand desenvolveu um amor quase maternal para Chopin devido às suas necessidades de cuidados com sua sáude. 
De 1839 a 1846 , eles ficaram muito tempo em Nohant, propriedade de Sand perto de Paris. É uma época feliz para Chopin na qual ele compôs algumas de suas melhores obras: a Polonesa Heróica, a Balada4th, a Barcarolla,  ...



Em 1847 eles se separaram definitivamente.


Deterioração de Saúde e Morte


Após a separação de Sand, Chopin realizou um circuito de apresentações pela Inglaterra e Escócia, entretanto sua saúde deteriorava-se gravemente. 

Chopin nunca gozou de  plena saúde. Da natureza doentia, seu estado geral piorou consederavelmente Os invernos lhe causavam muitos problemas e seu desconforto pulmonar era intenso.    Atualmente os médicos supõem que Chopin padecia de fibrose cística. 

No sábado 14 de outubro de 1849 gravemente enfermo, Chopin estava cercado por todos os seus amigos, com exceção de Sand, com quem ele se encontrou apenas uma vez após a separação. No domingo 15 de outubro, a sua inseparável amiga Delphine Potocka, a pedido de Chopin, tocou piano e cantou na sala ao lado de seu leito.  Ele faleceu nessa data.


Relacionamento Musical





O período musical em que viveu Chopin foi marcado por uma evolução singular da técnica de piano. Como o que tinha sido desenvolvido alguns anos antes de Paganini para violino. Grandes virtuoses como Liszt encantavam o mundo com sua técnica. Liszt tornou-se grande amigo de Chopin a quem admirava e incentivava como compositor atribuindo a esse vários avanços nesse instrumento. 



Liszt sabia que Chopin não gostava muito de outros compositores de sua época pois achava que eles não acrescentavam muito. Chopin era admirador de Beethoven e Mozart de um período anterior. Do seu período Liszt e Berlioz eram os que melhor ele admirava e convivia. 



Como ele confidenciou ao seu amigo Franz Liszt , Chopin não gostava (ao contrário de seu amigo) de dar concertos, preferindo aconchegantes lounges, atmosfera onde, à noite, cercado por seus amigos, ele criava emoção no coração das pessoas que amava. Ele representou, no entanto, ele mesmo, um ideal romântico que permaneceu útil para outros compositores em seu trabalho.



Chopin é reconhecido como um dos maiores compositores de música do período romântico e um dos mais famosos  pianistas do século XIX th . Sua música ainda é uma das mais tocadas e continua a ser uma transição necessária para a compreensão do repertório pianístico universal. Com Franz Liszt , ele é o pai da moderna técnica de seu instrumento e sua influência é precusora de uma linha de compositores como Gabriel Fauré , Maurice Ravel , Claude Debussy , Sergei Rachmaninoff , Alexander Scriabin , Henri Kowalski .


IV - Quatro Músicas de Chopin



a)  Polonaise  La bemol maior, Op. 53 ou Polonaise Heróica


Quando a Revolução de 1848 teve início na França, as mulheres não tinham direitos e George Sand, escritora e companheira de Chopin por 8 anos, acreditava que essas eram necessárias para o progresso. Por esta altura, Sand começou seu próprio jornal, que foi publicado em uma cooperativa de trabalhadores. Isso lhe permitiu publicar ensaios mais políticos, expressando suas fortes convicções. Em uma delas, por exemplo, ela escreveu: “Eu não posso acreditar em qualquer república que começa uma revolução matando seu próprio proletariado.” 



Ao ouvir a Polonaise de Chopin em Lá bemol maior, op. 53, Sand ficou com uma impressão simbólica profunda, que ela comunicou a Chopin em sua correspondência particular. Em uma de suas cartas, ela escreveu com paixão “A inspiração! A força! O vigor! Não há dúvida de que tal espírito deve estar presente na Revolução Francesa. A partir de agora esta polonaise deve ser um símbolo, um símbolo de heroísmo!”). 



Apesar da relutância de Chopin para dar nomes descritivos em sua música, os estudiosos de música e pianistas de concerto têm, no entanto, associado a grande composição dessa música com este apelido, “Heroica”.





Arthur Rubinstein (Łódź, 28 de janeiro de 1887 — Genebra, 20 de dezembro de 1982) foi um pianista polonês e judeu, naturalizado estadunidense muito conhecido como um dos pianistas mais virtuosos do século XX. Foi aclamado internacionalmente por suas performances de Chopin e Brahms. Foi um dos pianistas mais  talentosos de sua época. Dispensa maiores comentários. 




b) Noturno número 2


"Os Noturnos, Op. 9 são um conjunto de três noturnos (No1, No 2 e No 3) escritos por Frédéric Chopin entre 1830 e 1832 e dedicados a Madame Camille Pleyel. A obra foi publicada em 1832.

Chopin herdou a forma do compositor irlandês John Field; A influência de Field é palpável nos trabalhos mais cedos publicados por Chopin. Os três Noturnos, Op 9, com os quais Berlioz e Liszt se apaixonaram, ainda mostram a influência de Field no estilo, embora mesmo nesse estágio inicial o desenvolvimento do cromatismo melancólico e a melodia vigorosa de Chopin contrastem com o estilo mais simples de Field. 

O Noturno em Mi bemol maior, Op.9, No.2 é muito possivelmente a mais famoso obra que já foi escrita por Chopin. Apesar das muitas interpretações insípidas a que foi submetida ao longo dos anos, continua a ser uma obra de grande encanto. Das três peças em Opus 9, esta é a mais pesadamente em dívida com John Field, tanto em termos de sua estrutura de frase direta e sua atmosfera bastante simples. 

Há pouco espaço mesmo para sentimentalismo superficial, mesmo dentro da pequena cadência impressionante que conclui o trabalho." (http://www.allmusic.com)









Elisabeth Leonskaja (nascida em November 23, 1945) é uma notável pianista e professora Soviética e Austríaca. Ela nasceu de uma família de judeus poloneses vivendo em Tibilisi, na época capital da República Socialista Soviética da Georgia.

Começou a tocar piano desde os seis anos de idade. Aos 19 anos ela ganhou uma competição internacional de piano em Bucareste. No júri estavam o compositor e maestros Aram Khachaturian e o pianista Arthur Rubinstein. Ela deixou a União Soviética em 1978 e vive desde então em Viena.

O seu cd duplo "Noturnos de Chopin com Elizabeth Leonskaja" é  uma das melhores gravações  disponível desse fabuloso estilo musical. Altamente recomendado




c) Tristesse


O Estudo Opus 10, nº. 3 em mi maior, apelidado de "Tristesse" ("Tristeza"), é um estudo para piano solo, composto por Chopin em 1832. Foi primeiramente publicado em 1833 na França, Alemanha e Inglaterra como a terceira peça de seus Estudos Opus 10. 

A respeito deste vagaroso estudo, o próprio Chopin acreditava ser o de mais bela melodia que já havia criado. A peça se tornou famosa por entre inúmeros arranjos populares. 



Tanto "Tristesse" quanto "Farewell" (Adeus) são nomes dados à obra por Chopin.






Valentina Lisitsa é uma pianista clássica Ucraniana, nascida em Kiev em 1973. Valentina vive actualmente na Carolina do Norte, EUA e é casada com Alexei Kuznetsoff, que é também pianista e seu parceiro em vários duetos.

Tendo nascido em uma família de não-músicos, Valentina começou a tocar piano aos 3 anos, e com 4 anos deu o seu primeiro recital  solo. Mas ao contrário de muitos prodigios musicais, Valentina não pensava numa carreira musical, ela sonhava ser jogadora profissional de xadrez.

Com pouco esforço Valentina passou pelo Conservatório de Kiev, onde ela conheceu o seu futuro marido Alexei Kuznetsoff, que a fez pensar mais seriamente na sua carreira musical.


Lisitsa gravou oito álbuns para a Audiofon Record Company, bem como um DVD com 24 estudos de Chopin. Lançou ainda dois DVD, um com temas de Schubert e Liszt, bem como outro com Obras-primas de Ravel e Liszt , ambos foram lançados no outono de 2006.


d) Chopin Preludes Op. 28, No. 17


Preludes, op. 28, são um conjunto de peças curtas para piano, publicadas originalmente em 1839 e dedicados a Joseph Christoph Kessler, um compositor de estudos de piano na época de Chopin. 

Dez anos antes, Kessler tinha dedicado seu próprio conjunto de 24 Preludios, op. 31, a Chopin. Embora o termo prelúdio seja geralmente usado para descrever uma parte introdutória, as peças de Chopin são unidades independentes, cada uma transmitindo uma ideia específica. Os prelúdios  Op. 28  foram encomendados pelo fabricante de pianos e editor Camille Pleyel por 2.000 francos. 

Chopin escreveu entre 1835 e 1839, a maior parte em  Valldemossa, Maiorca, onde passou o inverno de 1838-1839 para onde ele tinha fugido com George Sand e seus filhos para escapar do úmido clima de Paris.




Arthur Moreira Lima Jr.
(Rio de Janeiro, 16 de julho de 1940) é um pianista erudito brasileiro.


Arthur Moreira Lima começou a estudar piano aos seis anos de idade, tendo por professora Lúcia Branco que também tivera por alunos nomes como Tom Jobim e Nelson Freire. Aos oito, tocou um concerto de Mozart com a Orquestra Sinfônica Brasileira. Além de  Lúcia Branco teve como mestres Marguerite Long (Paris) e Rudolf Kehrer (Conservatório Tchaikovsky de Moscou).



Arthur Moreira Lima projetou-se internacionalmente na Competição Internacional de Piano Frédéric Chopin de 1965, em que conseguiu o segundo lugar. Laureou-se também em várias outras competições, incluindo a também prestigiosa Competição Internacional Tchaikovsky de 1970, ficando em terceiro lugar. Arthur Moreira Lima é um grande divulgador da música clássica no Brasil e um de nossos melhores talentos.




V - A vida de Chopin em Filme;


  • A Noite Sonhamos (A song to Rememeber)(1945) por Charles Vidor com Cornel Wilde (Chopin) e Merle Oberon (George Sand). Cornel Wilde foi nomeado para um Oscar por sua performance
  • Disponível no Youtube - https://www.youtube.com/watch?v=xWW-MpNZlBc

VI - Referências


Wikipedia: Chopin / Arthur Rubistein / Elizabeth Leonskaja / Valentina Lisitsa 



Noturno no 2 - (http://www.allmusic.com/composition/nocturne-for-piano-no-2-in-e-flat-major-op-9-2-ct-109-mc0002426096)

Música Clássica - Guia Ilustrado Zahar, editado por John Burrows


VII -Outras Publicações da série "Musica Erudita"


Música Barroca - A Música de Johann Sebastian Bach
http://historiacomgosto.blogspot.com.br/2016/10/musica-barroca-musica-de-johann_13.html


A música clássica de Franz Joseph Haydn
http://historiacomgosto.blogspot.com.br/2016/11/a-musica-classica-de-franz-joseph-haydn.html

Período Clássico - A música de Mozart
http://historiacomgosto.blogspot.com.br/2017/06/periodo-classico-musica-de-mozart.html

A Música de Beethoven
http://historiacomgosto.blogspot.com.br/search/label/A%20m%C3%BAsica%20de%20Beethoven

Música Romântica - A Música de Chopin

http://historiacomgosto.blogspot.com.br/2016/10/chopin-musica-do-periodo-romantico.html



3 comentários:

  1. Essa leitura foi ótima ! Dá paz e alegria. Obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Eu amo música clássica e adoro Schubert, Debussy, Chopin, algumas de Bach e algumas de Mozart...abraços adorei o site e gostaria de receber mais, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maneira mais fácil é curtir a nossa página "HistoriacomGosto" no Facebook. Publicamos de 2 a 3 posts por semana. Será um prazer tê-la conosco.

      Excluir