segunda-feira, 11 de maio de 2015

Santuário de Fátima - Portugal - "Aparições de Nossa Senhora"

1. - Resumo Histórico


                             Local da quarta aparição de Nossa Senhora em Valinhos

   "Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso, cujo nome é Santo."


A maioria das pessoas que visitam Fátima experimentam uma sensação diferente. Em algum momento, em algum local,  acabam sendo tocados pela fé, pela sensibilidade de algo especial, pela sensação de estar com Nossa Senhora, pela presença real de Jesus nas Eucaristias ali celebrada. No mínimo são testemunhas da fé que move as pessoas que se dirigem ao santuário, muitas vezes de joelhos. 

Em Fátima, em 1916, aconteceu uma das aparições mais extraordinárias de Nossa Senhora a três humildes pastores e que a Igreja segue hoje junto com os fiéis, honrando e homenageando esse lugar escolhido.

Precedidas por três aparições do anjo, Nossa Senhora apareceu seis vezes aos pastores, sendo que na última, o chamado do "fenômeno do Sol"  foi presenciado por cerca de 70 mil pessoas. 

Estive lá e senti uma grande emoção no local da quarta aparição. Foi como  Nossa Senhora nos dissesse "estou aqui, rezem pelo mundo".

Uma descrição dos fatos e do local está a seguir, retirada de vários sites e artigos, com fotos de domínio público e que foram tomadas da época.

Para os que têm fé, visitem.

 2. - A aparição de Nossa Senhora aos três pastores

a) Os três pastores



Em 1917, Lúcia tinha 10 anos, seu primo Francisco, 9 anos e sua prima Jacinta, 07 anos. Os três viviam com seus pais na localidade de Aljustrel, freguesia de Fátima, parte do "Concelho de Ourém", e tinham a seu encargo a tarefa de pastorear as ovelhas de suas famílias.

Lucia era a mais  nova da família com cinco meninas e um menino.


Em 13 de maio de 1917, os três presenciaram a primeira aparição de Nossa Senhora, na Cova da Iría, a que eles se referenciaram como "... uma senhora mais branca que o Sol".

Lucia via, ouvia e falava com a aparição, Jacinta via e ouvia e Francisco somente via. As aparições continuaram a acontecer sempre no dia 13 de cada mês. Os três tiveram suas vidas modificadas pelas aparições.




Francisco e Jacinta adoeceram  quase ao mesmo tempo em 1919. Francisco logo faleceu e Jacinta  faleceu no ano seguinte. De acordo com eles Nossa Senhora os havia avisado que Francisco e Jacinta logo iriam para o céu e somente Lúcia ficaria com  a missão de divulgar os seus pedidos.




Lucia foi a única que teria de ficar por mais tempo neste mundo, para cumprir a sua missão. A Virgem, na verdade, tinha-a mandado aprender a ler... Sem dúvida, só depois das Aparições ela começou a ir à escola, onde rapidamente, com seu engenho e memória extraordinárias, aprendeu as primeiras letras. Passadas as Aparições, a situação de Lúcia era, naturalmente, a de uma «vidente», com todos os riscos que isso comporta. Era necessário fazer algo mais com ela. Atender à sua educação e subtraí-la aos perigos que poderia sofrer naquele meio ambiente de «milagreira» e de «maravilhosismo», foi uma das primeiras preocupações do recém nomeado primeiro Bispo de Leiria, após a restauração da Diocese. Na manhã de 17 de Junho de 1921 entrava, como educanda, no Colégio das Irmãs Doroteias, em Vilar, hoje integrado na cidade do Porto.


Depois de cumprir seu noviciado, e passar por algumas ordens, atendendo a seu desejo de reclusão, em 25 de Março de 1948, entra para o Carmelo de Santa Teresa, em Coimbra, para levar uma vida de oração e penitência até à morte, ocorrida em 13 de Fevereiro de 2005.
 (Texto retirado da introdução do Livro - "Memórias de Irmã Lucia")

Repercussões:



Inicialmente os três tinham combinado logo após a primeira aparição de Nossa Senhora de não contarem nada a ninguém. Entretanto, Jacinta logo no primeiro dia , não se conteve e contou a sua mãe. O sentimento nas duas famílias era de incredulidade e aborrecimento com a movimentação de pessoas no local e da possibilidade de as crianças estarem inventando uma história premeditada.


Conta Irmã Lucia: "Entretanto, a notícia do acontecimento tinha-se espalhado. Minha mãe começava a afligir-se e queria, a todo o custo, que eu me desdissesse. Um dia, antes que saísse com o rebanho, quis obrigar-me a confessar que tinha mentido."  Entretanto, os três apesar de serem inquiridos por várias vezes pela família, padres, administradores e terem sidos até presos por um pequeno período, tinham em mente que se desdizerem era praticar a mentira e consequentemente pecarem e que não era isso que Nossa Senhora queria deles. Mantiveram-se firmes e fiéis às suas percepções.




a) As aparições de Nossa Senhora


A 13 de Maio de 1917, três crianças apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Fátima, concelho de Vila Nova de Ourém, hoje diocese de Leiria-Fátima. Chamavam-se Lúcia de Jesus, de 10 anos, e Francisco e Jacinta Marto, seus primos, de 9 e 7 anos. 


Por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, entretinham-se a construir uma pequena casa de pedras soltas, no local onde hoje se encontra a Basílica. De repente, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma "Senhora mais brilhante que o sol", de cujas mãos pendia um terço branco. 


A Senhora disse aos três pastorinhos que era necessário rezar muito e convidou-os a voltarem à Cova da Iria durante mais cinco meses consecutivos, no dia 13 e àquela hora. As crianças assim fizeram, e nos dias 13 de Junho, Julho, Setembro e Outubro, a Senhora voltou a aparecer-lhes e a falar-lhes, na Cova da Iria. A 19 de Agosto, a aparição deu-se no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque, no dia 13, as crianças tinham sido levadas pelo Administrador do Concelho, para Vila Nova de Ourém. 

O Milagre do Sol


Na última aparição, a 13 de Outubro, estando presentes cerca de 70.000 pessoas, a Senhora disse-lhes que era a "Senhora do Rosário" e que fizessem ali uma capela em Sua honra. Depois da aparição, todos os presentes observaram o milagre prometido às três crianças em Julho e Setembro: o sol, assemelhando-se a um disco de prata, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se 

na terra.












3.  Aparições do anjo


A Irmã Lucia revelou em 1937, quando escreveu as memórias dos fatos, que durante o ano de 1916,  um Anjo já tinha aparecido aos três videntes por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência.




1ª Aparição do Anjo



Em plena de Primavera de 1916, irmã Lucia relata: "andava eu com os meus primos  Francisco e Jacinta a cuidar do rebanho e subimos a encosta em procura dum abrigo a que chamávamos "Loca do Cabeço". Depois de aí merendar e rezar, alguns momentos havia que jogávamos e eis que um vento sacode as árvores e faz-nos levantar a vista para ver o que se passava, pois o dia estava sereno. Então começamos a ver, a alguma distância, sobre as árvores que se estendiam em direção  ao nascente, uma luz mais branca que a neve, com a forma dum jovem, transparente, mais brilhante que um cristal atravessado pelos raios do Sol. À medida que se aproximava, íamos-lhe distinguindo as feições. Estávamos surpreendidos e meios absortos. Não dizíamos palavra. Ao chegar junto de nós, disse:



Não temais! Sou o Anjo da Paz. Orai comigo.
- E ajoelhando em terra curvou a cabeça até ao chão, e nos fez repetir três vezes estas palavras:


Meu Deus! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos.  

Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam”. 


- Depois erguendo-se, disse: Orai assim. Os corações de Jesus  e Maria estão atentos
às vossas súplicas. E desapareceu.



2ª Aparição do Anjo - verão de 1916

Assim narra a Irmã Lúcia: "Fomos, pois passar as horas da sesta à sombra das árvores que cercavam o poço já vário vezes mencionado. De repente, vimos o mesmo  Anjo junto de nós que disse:


- “Que fazeis? Orai! Orai muito! Os Corações de Jesus e Maria têm sobre vós desígnios de misericórdia. Oferecei constantemente ao Altíssimo orações e sacrifícios.”
–  Como nos havemos de sacrificar? – perguntei.   
– “De tudo que puderdes, oferecei um sacrifício em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores. Atraí, assim, sobre a vossa Pátria, a paz. Eu sou o Anjo da sua guarda, o Anjo de Portugal. Sobretudo, aceitai e suportai com submissão o sofrimento que o Senhor vos enviar”. E desapareceu. 



3ª Aparição do Anjo



Ocorreu no fim do Verão ou princípio de Outono de 1916, na Loca do Cabeço, no mesmo lugar da primeira aparição, como descreve Lúcia: "Rezamos aí o terço e a oração que na primeira aparição nos tinha ensinado. Estando, pois, aí, apareceu-nos pela terceira vez, trazendo na mão um cálice e sobre ele uma Hóstia, da qual caíam, dentro do cálice, algumas gotas de sangue. Deixando o cálice e a Hóstia suspensos no ar, prostrou-se em terra e repetiu três vezes a oração:

– “Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”.

Depois, levantando-se, tomou de novo na mão o cálice e a Hóstia e deu a Hóstia a mim e o que continha o cálice deu-o a beber à Jacinta e ao Francisco, dizendo, ao mesmo tempo:

– “Tomai e bebei o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos. Reparai os seus crimes e consolai o vosso Deus”.

De novo prostrou-se em terra e repetiu conosco mais três vezes a mesma oração: – 
Santíssima Trindade… etc. E desapareceu. 





4. - O Santuário de Fátima atualmente 





Mapa do site www.viajenet.com.br


Dedicado às aparições de Nossa Senhora ocorridas no início do século, o santuário de Fátima é composto de várias instalações; A basílica principal, os locais da aparição do anjo e da quarta aparição de Nossa Senhora em Valinhos, capela no local da aparição de Nossa Senhora com o Sol, Auditório João Paulo II, Pátio dos fiéis, ...,.


Basílica de Nossa Senhora do Rosário


Em 13 de Maio de 1928 foi benzida a primeira pedra pelo arcebispo de Évora, D. Manuel da Conceição Santos. A sagração foi a 7 de Outubro de 1953. O título de "Basílica" foi-lhe concedido por Pio XII, no breve "Luce Superna", de Novembro de 1954.

O edifício, que mede 70,5 metros de comprimento e 37 de largura, foi construído totalmente com pedra da região (lugar do Moimento) e os altares são de mármore de Estremoz, de Pero Pinheiro e de Fátima.


                                                                 Basílica 

À entrada da Basílica, por cima da porta principal, encontra-se um mosaico que representa a Santíssima Trindade a coroar Nossa Senhora. Foi executado nas oficinas do Vaticano e ali benzido pelo então Secretário de Estado, Cardeal Eugénio Paccelli, futuro Papa Pio XII, o "Papa de Fátima".

No dia 13 de Maio de 1958, foi inaugurada uma grande estátua do Imaculado Coração de Maria, esculpida pelo Padre Thomas McGlynn, O.P., sob indicação da Irmã Lúcia, e colocada no nicho da fachada da Basílica no dia 13 de Junho de 1959.

Esta imagem, oferta dos católicos americanos, evoca o conteúdo da mensagem referente à devoção ao Imaculado Coração de Maria, a que Nossa Senhora aludiu nas três primeiras aparições da Cova da Iria e nas aparições de Pontevedra: a devoção dos cinco primeiros sábados, a consagração da Rússia e o triunfo do seu Imaculado Coração. 

A estátua do Imaculado Coração de Maria no nicho da torre tem 4,73 metros e pesa 14 toneladas.  (Texto extraído do site; www.fatima.pt)




A capela das aparições

Cova da Íria

No lugar das aparições construiu-se uma capela que foi sendo modificada ao longo dos anos. Lá são rezadas missas constantemente.







Obs: Com esse link temos acesso ao que está acontecendo ao vivo na Capelinha:
http://www.fatima.pt/portal/index.php?id=14924

Mensagens de Fátima





Centro Pastoral Joao Paulo II








        Igreja da Santíssima  Trindade

Esta Basílica, dedicada à Santíssima Trindade, com 8.633 lugares sentados e 40.000 m2, é o quarto maior templo católico do mundo em capacidade e  foi totalmente pago com as doações dos peregrinos. 
A Basílica foi inaugurada em 12 de outubro de 2007 pelo Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, por ocasião do 90o aniversário das aparições.
 A decoração é inspirada na arte bizantina e ortodoxa. A planta é circular por fora e quadrangular por dentro, existindo 12 portas laterais (uma dedicada a cada um dos Apóstolos) e uma grande porta central, a Porta de Cristo.



5. - Informações Adicionais


O Santuário de Fátima fica a uma distância de 110 Km de Lisboa e 185 Km do Porto. É perfeitamente possível fazer uma visita a Fátima saindo de Lisboa e voltando no mesmo dia. Outra possibilidade é fazer a visita como parte do trajeto entre Lisboa e Porto. 



6. - Transmissão ao Vivo - 



7. - Referências:


- Livro "Memórias da Irmã Lucia" - Disponível para download
- www.santuario-fatima.pt - 
- www.fatima.pt - 
- www.wikipedia.org - Aparições de Fátima
- Notas de Viagem



Um comentário: