quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Manet ou Monet, eis a questão ! (Impressionismo I)

I - O Impressionismo 



O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início ás grandes tendências da arte do século XX. 



Os pintores impressionistas procuraram, com base na observação direta do efeito da luz solar sobre os objetos, registrar em suas telas as constantes alterações que essa luz provoca nas cores da natureza.




                Argenteuil (1874), Edouard Manet, Museu de Belas Artes de Tounai, Bélgica



Algumas características gerais da pintura impressionista:

-A pintura deve registrar a tonalidades que os objetos adquirem ao refletir a luz solar e um determinado momento, pois elas mudam constantemente de acordo com  incidência do sol. 

- As figuras não devem ter contornos nítidos poi a linha é uma abstração do ser humano para representar as imagens.

- As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam.

- As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura de tintas. Elas devem ser puras e dissociadas no quadro em pequenas pinceladas.


Obs : Texto do livro "História da Arte de Graça Proença". Excelente Material.


Tela "Argenteuil"


A tela representa um velejador em companhia de uma jovem mulher ao lado do Seine em Argenteuil (atualmente no Val-d'Oise ). A aldeia de Argenteuil é visível no fundo.

Esta é, na história da arte , uma das primeiras obras de Manet que merecem plenamente o adjetivo de impressionista, tanto por causa de seu tema naturalista bem como de suas cores audaciosas, incluindo o azul berrante de rio.

II - Édouard Manet (fonte: wikipedia)



Édouard Manet (Paris, 23 de janeiro de 1832 — Paris, 30 de abril de 1883) foi um pintor e artista gráfico francês e uma das figuras mais importantes da arte do século XIX. Ele é considerado um dos precursores do impressionismo.


Ele nasceu no bairro de Saint-Germain-des-Prés , em uma família de burguesia parisiense. Seu pai Auguste, era um alto funcionário do Ministério da Justiça.  A mãe de Edward, Eugénie Désirée Manet  era  filha de um diplomata enviado para Estocolmo. 


No início de sua obra Manet era criticado não apenas pelos temas, mas também por sua técnica, que escapava às convenções acadêmicas. Frequentemente inspirado pelos mestres clássicos e em particular pelos espanhóis do Século de Ouro, Manet influenciou, entretanto, certos precursores do impressionismo, em virtude da pureza de sua abordagem. 


- Infância



Embora tenha sido criado em uma família austera, o jovem Edouard logo descobre o mundo da arte através da influência de um tio monarquista excêntrico, o capitão Edward Fournier, que lhe leva a apeciar os grandes mestres, junto com seu irmão Eugene, nas galerias do Louvre , chamando a atenção especialmente da Galeria Espanhola. 



- Viagem ao Brasil


Manet obtém bons resultados escolares, mas  os estudos tradicionais não lhe interessam. ele se recusa a entrar na faculdade de direito como era o desejo de seus pais. Ele tenta entrar no Colégio Naval após intensas discussões em família, mas não é bem sucedido nos exames. 

Em 09 de dezembro de 1848 ele embarca como aprendiz no Barco Escola "Le Havre e Guadolupe" com destino ao Rio de Janeiro. No regresso em 1849 ele tenta novamente entrar na escola naval e novamente não consegue. Entretanto, ele traz na bagagem uma multidão de desenhos diante dos quais seus pais se rendem a evidência que seu filho era um artista.   


- Ateliê de Thomas Couture


Após os seguidos fracassos ao tentar entrar para Escola Naval, Manet consegue apoio de seus pais para estudar no ateliê do pintor e mestre Thomas Couture, onde ficou por seis anos.

Durante esse tempo, Manet procurou aprender as bases técnicas da pintura e fez cópias de obras expostas no Louvre (cópias de obras de Ticiano, Velazquez, Tintoretto e Delacroix). Manet completou seu aprendizado viajando e conhecendo museus de outros países europeus (Itália, Holanda, Alemanha, Áustria e outros).

No ano de 1856, Manet deixou o atelier de Couture por divergências artísticas. Segundo Couture, Manet não tinha tons intermediários entre a luz a e sombra. Para Manet, esses tons intermediários debilitavam a sombra e a luz, portanto ele acabava usando cores quase puras.

A obra de Manet foi importante na medida em que inovou a pintura, dando-lhe uma luminosidade mais intensa e que já começa a explorar os efeitos da luz natural sobre uma cena a ser retratada.

Período Espanhol



Em 1859, Manet envia o seu primeiro trabalho ao Salão de Paris ("O Bebedor de Absinto"), obra realista influenciada pelas obras do pintor Gustave Courbet e também pela obra Menippe de Diego Velázquez. A obra foi recusada pelo Salão. O júri não estava aberto ainda para novas ideias. A imagem do bebedor apareceria em outro quadro de Manet, "O velho músico" de 1862.



 O bebedor de Absinto(1858 - 1859)  (Museu de Copenhague)                          O velho músico (1862) - Galeria de Arte Nacional, Washington


Após o abandono do ateliê de Couture, Manet manteve um certo fascínio pela arte da Península Ibérica. Entre as suas obras da época estão: "Lola de Valência" (que retrata uma dançarina em trajes espanhóis tradicionais), "O Cantor Espanhol", "Jovem Homem em costume de Majo", "Bailado Espanhol" e "Mile V. em costume de espada" (cuja modelo foi Victorine Meurent vestida de toureiro). Estes dois últimos expostos no Salão dos Recusados de 1863. Seu período hispânico era influenciado pelas obras de Diego Velázquez.


Período de Rejeição e Glória


Manet era um jovem amigável e sociável. Quando começou a fazer sucesso foi prontamente aceito em círculos de intelectuais e aristocratas parisienses. Frequentava assiduamente os Jardins das Tulherias (Jardin des Tuileries em francês) com a presença constante de seu amigo, Baudelaire, local que serviu de inspiração para a obra "A música nas Tulherias" de 1862.




A obra "A música na Tulherias"  marca o seu rompimento com o realismo em sua primeira obra impressionista. Há a presença de pessoas bem próximas a Manet retratadas nesta obra, entre elas Baudelaire e Eugène Manet, seu irmão. Baudelaire e Manet já se conheciam desde 1858, mas tornaram-se grandes amigos tempos depois.

               A música nas Tulherias (1862) - Galeria Nacional de Londres           Tocador de Pífaros (1866),                                        Museu d'Orsay


A obra "O Tocador de pífaros" foi pintada quando o comandante da guarda imperial, Lesjosne, levou o jovem flautista ao estúdio de Manet, que não resistiu a tentação de pintá-lo. Realizado logo depois do retorno de sua viagem à Espanha, Manet tinha em sua mente os retratos em pé de Velázquez vistos no Museu do Prado. Os contornos da pintura são muito bem definidos e o contraste entre o personagem e o fundo cinza parecem combinar a arte de Velázquez com uma reflexão sobre pinturas japonesas. (Coleção Grandes Mestres Abril). 



No ano de 1867, "O tocador de Pífaro" foi recusado no Salão Oficial de Paris. Fato que fez com que Émile Zola escrevesse uma artigo no L’Événement defendendo a tela (Zola seria retratado por Manet em 1868, quadro que foi aceito no Salão do mesmo ano).



Período Impressionista - "Cafés" e "Cafés Concerto"



Os cafés e cafés concerto, representavam um papel importante na vida artística de Paris no século XIX. Ponto  de  encontro dos vários artistas, eles eram frequentemente retratados nas obras dos mais diversos artistas da época. 




                    Café Concerto do Pai Lathuille (1879) -Museu de Belas Artes de Tournai


Um Bar no Folie-Bérgere




O bar retrata uma cena do café-concerto Folies-Bèrgere, em Paris.


A cena, ao contrário do que aparenta, não foi pintada no Folies-Bergère, mas sim inteiramente criada em seu atelier. A jovem que serviu de modelo, Suzon, no entanto era realmente empregada do celebre café-concerto. 

Apesar do plano de fundo não ser neutro, o quadro mostra um figura calma. A atitude da garçonete, indiferente e com ar de tristeza, contrasta com a alegria de seu cenário, do qual não pode compartilha

Os numerosos elementos presentes sobre o balcão do bar, garrafas de bebidas, flores, frutas, formam uma evolução piramidal, encontrando o cume, não por acaso, nas flores que ornam o colo da servente.




                 Um bar no Folie-Bérgere (1881-1882) - Instituto Courtauld, Londres



O aspecto que mais retém atenção dos críticos é o reflexo de Suzon no espelho, que ocupa grande parte do quadro. A imagem do espelho, imensa e pouco iluminada, reflete todo o interior da casa noturna, mas despoja-a de realidade tridimensional.



As costas de Suzon não parecem revelar uma imagem exata da cena, tanto no que concerne à sua postura, tanto como a presença de um homem em sua frente, tão próximo que deveria ter tampado a visão do observador. É difícil concluir se esta anomalia é fruto da vontade do artista ou um simples erro de apreciação.


III - Claude Monet



Oscar-Claude Monet (Paris, 14 de novembro de 1840 — Giverny, 5 de dezembro de 1926) foi um pintor francês e um dos fundadores do movimento "impressionista".

O termo impressionismo surgiu de uma crítica pejorativa, feita ao seu quadro"Impressão do Sol'' pelo pintor e escritor Louis Leroy: "Impressão, nascer do Sol” – eu bem o sabia! 


Pensava eu, justamente, se estou impressionado é porque há lá uma impressão. E que liberdade, que suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha...,.  A expressão foi usada originalmente de forma pejorativa, mas Monet e seus colegas adotaram o título, sabendo da revolução que estavam iniciando na pintura.


        Claude Monet em seu Ateliê em Argenteuil, por Manet, 1874, Neue Pinakotheke



A Obra de Claude Monet está divulgada no post seguinte "Monet ou Manet, ambos! (Impressionismo II).https://historiacomgosto.blogspot.com.br/2016/02/monet-ou-manet-ambos-impressionismo-ii.html


IV - Referências

Observação: Texto não original, compilado das fontes abaixo com a finalidade de divulgação cultural.

- História da Arte - Graça Proença ( Texto sobre Impressionismo)

- Coleção "Grandes Mestres" - Abril Coleções

- Wikipedia Português - Édouard Manet / Claude Monet

- Wikipedia Francês - Édouard Manet

- Fotos: Wikipedia - The Yorck Project: 10.000 Meisterwerke der Malerei. DVD-ROM, 2002. ISBN 3936122202. Distributed by DIRECTMEDIA Publishing GmbH.

- Divulgação das Obras Consideradas de Domínio Público - Mais de 100 anos da morte dos autores. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário