sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Sarajevo, curando as feridas, buscando um futuro.

1.- Sarajevo à procura de um futuro


Sarajevo sempre esteve em um lugar especial na nossa imaginação do mundo e de seus eventos históricos.  O motivo inicial era a curiosidade sobre a história do assassinato do arquiduque Franz Ferdinand que foi o estopim para o início da primeira guerra mundial. Depois disso veio a guerra da Bósnia, o cerco de Sarajevo, e toda a história recente. Fomos lá em 2017, por muito pouco tempo, mas constatamos: É uma cidade cheia de história, com dores recentes, e procurando um futuro sustentável e coerente conforme mostrado abaixo.



Ponte em Sarajevo
Sarajevo sempre teve a convivência lado a lado de várias religiões e várias etnias. A pergunta agora é como conviver lado a lado pessoas com pensamentos tão diferentes depois de um conflito recente e longo ? Pessoas que até poucos anos atrás participaram de uma guerra, em lados opostos,  onde vários eventos foram considerados como  verdadeiros genocídios. Entretanto, existiram também pessoas de etnias diferentes que permaneceram lado a lado lutando pelo ideal de convivência mútua sem restrições.

Imaginemos como era a vida das pessoas, nessa época recente,  quando tinham de atravessar a rua principal da cidade sob a mira de atiradores escondidos nos topos de prédios (snipers) ? Como viver com a fachada de sua casa sendo alvo de tiros de fuzil, metralhadora e morteiros o tempo todo ? 

Essa realidade foi vivida por Sarajevo até poucos anos atrás. Hoje podemos dizer que a sua população procura curar as feridas e descobrir um caminho de esperança. Não é fácil.

Rezemos por Sarajevo e pela Bósnia. Vamos conhecer um pedaço bem pequeno dessa história.


2. - Resumo Histórico


2.1 - Fundação e domínio dos Otomanos (1461)


a) Fundação

Sarajevo foi fundada pelo Império Otomano na década de 1450 após a conquista da região. O ano de 1461 é considerado como data de fundação da cidade. O primeiro governador otomano da Bósnia , Isa-Beg Ishaković , transformou o conjunto de aldeias em uma cidade e capital do estado através da construção de uma série de estruturas-chave incluindo uma mesquita, um mercado fechado, um banho público , um albergue e, claro, 
um Castelo do Governador ("Saray") que deu à cidade o nome atual.

Praça dos Pombos


b) Chegada dos judeus da Espanha (final século XV)



Após a expulsão de judeus da Espanha no final do século 15 e o convite do império otomano para reassentar sua população, os judeus sefarditas chegaram a Sarajevo. Ao longo do tempo a cidade se tornaria um centro líder da cultura sefardita. Embora de tamanho relativamente pequeno, um bairro judeu se desenvolveu em vários quarteirões em Baščaršija .



c) Apogeu de Sarajevo (século XVII)



No auge do império otomano, Sarajevo foi a maior e mais importante cidade otomana nos Balcãs depois de Istambul. Em 1660, a população de Sarajevo era estimada em mais de 80.000 pessoas. Em comparação, Belgrado em 1838 tinha 12.963 habitantes, e Zagreb , até 1851, tinha 14 mil pessoas.

d) Presença Otomana em Sarajevo - Fotos Atuais


comércio 1


comércio 2


e) Destruição na grande guerra turca (1697)



Em 1697, durante a Grande Guerra Turca , uma incursão foi liderada pelo Príncipe Eugene de Sabóia da Monarquia de Habsburgo contra o Império Otomano, que conquistou Sarajevo e a deixou destruída e queimada no chão. Depois que seus homens haviam saqueado a cidade completamente, eles a incendiaram  e destruíram quase tudo em um dia. Apenas um punhado de bairros, algumas mesquitas e uma igreja ortodoxa ficaram de pé. Numerosos outros incêndios enfraqueceram a cidade, que foi posteriormente reconstruída, mas nunca se recuperou completamente da destruição. Em 1807, tinha apenas cerca de 60 mil habitantes.



2.2 - Governo pelo Império Austríaco (1878 a 1914)



A ocupação pela Áustria e  Hungria da Bósnia e Herzegovina veio em 1878 como parte do Tratado de Berlim. A anexação completa foi concluída em 1908, irritando os sérvios. Sarajevo foi industrializado pela Áustria-Hungria, que usou a cidade como uma área de teste para novas invenções, como os trens , que foram estabelecidos em 1885 antes de serem instalados em Viena . 

Como resultado, a cidade tem uma mistura única juntando os exemplos da cidade otomana com prédios de arquitetura ocidental contemporânea. 

O período austro-húngaro foi de grande desenvolvimento para a cidade, já que o poder ocidental trouxe os padrões da era vitoriana. Várias fábricas e outros edifícios foram construídos neste momento

Arquitetura do período Austríaco

Teatro Nacional


Universidade e Correios
Museu de Belas Artes

3. - O assassinato do Arquiduque Franz Ferdinand


Nesse local o herdeiro do Império Austro-Húngaro, Franz Ferdinand, e sua esposa, Sophie de Hohenberg, foram assassinados em 1914. Um primeiro atentado com bombas,  menos de uma hora antes, havia falhado. O arquiduque quis visitar o hospital onde se encontravam os feridos do atentado. Entretanto, o condutor do seu veículo errou o caminho e parou para fazer uma manobra justamente nessa esquina onde se encontrava, por acaso, aparentemente comendo um sanduíche, um dos membros envolvidos no plano de assassinato. O local mostrado era a cafeteria Moritz-Schiller. O assassino que se encontrava no local e fez o disparo foi o nacionalista sérvio-bósnio chamado Gavrilo Princip. O fato desencadeou a Primeira Guerra Mundial.

Museu em lembrança do assassinato de Franz Ferdinand. Ele foi assassinado em frente ao local.


Ponte Latina

Ponte conhecida como "Latin Bridge" onde passou a comitiva
placa no museu mostrando o local do assassinato


Fotos Antigas

Cafeteria que hoje é Museu e onde se encontrava o assassino.
Prisão do assassino Gavrilo Princip

4. - Bósnia e Sarajevo - Um Caldeirão Complexo e  Multicultural


4.1 - A Bósnia - (Federação Bósnia e República Sérvia)


A Bósnia é uma república federal dos Balcãs, cuja capital é a cidade de Sarajevo. É composta por duas entidades politicamente autônomas, a Federação da Bósnia e Herzegovina (federação croato-bosníaca) e a República Sérvia (também conhecida como República Srpska, que não deve ser confundida com a Sérvia propriamente dita).

Mapa com divisão Federação Bósnia e Republica Srpska
Os principais grupos étnicos que habitam a Bósnia e Herzegovina são majoritariamente bósnios, sérvios e croatas. A maioria dos habitantes que vivem no país são falantes do servo-croata. Metade da população segue o cristianismo (35 por cento segue a Igreja Ortodoxa Sérvia e 15 por cento segue o catolicismo) e 46 por cento é muçulmana.
A Bósnia e Herzegovina tornou-se independente em 1992. Depois de ser proclamada a independência do país, eclodiu uma guerra civil, resultando num genocídio que causou a morte de 200 mil pessoas.


O sistema político da Bósnia é o de uma república presidencialista tripartida, com um representante bósnio-muçulmano (bosníaco), um croata e um sérvio.

O cargo de presidente da Bósnia e Herzegovina é exercido em rotatividade pelos três membros da presidência da Bósnia e Herzegovina (um "bósnio" muçulmano, um sérvio e um croata), cada um ocupando o cargo durante 8 meses ao longo do seu mandato de quatro anos na presidência. Os três membros da presidência são eleitos diretamente pelo povo (votos da Federação para o bosníaco e o croata, e da República Srpska para o sérvio).



4.2 - Sarajevo - Um lugar com várias Religiões e Etnias


Na cidade velha (stari grad) de Sarajevo podemos encontrar, a muito pouca distância uma da outra, Igreja ortodoxa, Igreja católica, Mesquita muçulmana, Sinagoga judia, Museu judeu, ...,.










a) Mesquita Mulçumana Gazi Husrev

A Mesquita Gazi Husrev-bei  é a maior mesquita histórica da Bósnia e Herzegovina. Construída no século 16, é uma das estruturas otomanas mais representativas dos Balcãs. 

Sendo a mesquita central de Sarajevo desde os dias da sua construção, hoje também serve como a principal mesquita congregacional da comunidade islâmica da Bósnia e Herzegovina. Está localizada no bairro Baščaršija no Stari Grad e, é  um dos principais monumentos arquitetônicos da cidade. É visitado regularmente por turistas quando não há culto religioso.



Mesquita de Gazi Husrev-Begfoi



A  Mesquita Gazi Husrev-Begfoi construída entre  1530/1531 como elemento central de várias construções otomanas, que  incluía um maktab e uma madrassa (escolas primárias e secundárias islâmicas), um Bezistan (mercado abobadado) , um hammam (banho  público), etc. 

A Mesquita Gazi Husrev-Bey foi a primeira mesquita do mundo a receber eletricidade e iluminação elétrica em 1898 durante o período do Império Austro-Húngaro.



Mesquita de Gazi Husrev-Begfoi
Mesquita de Gazi Husrev-Begfoi



b) Igreja Ortodoxa - Catedral da Natividade da Virgem Maria

A Igreja Catedral da Natividade da Theotokos (Virgem Maria) é a maior igreja ortodoxa sérvia em Sarajevo e uma das maiores dos Balcãs .

A catedral é dedicada à natividade da Theotokos. Foi erguido a pedido da comunidade ortodoxa de Sarajevo, com a construção entre 1863 e 1868. A igreja é construída como uma basílica de três seções inscritas em um plano em forma de cruz e tem cinco cúpulas. 



Igreja Ortodoxa ao fundo
A igreja é arqueada por elementos redondos. O campanário do estilo barroco é construído em frente à entrada. As paredes interiores são decoradas com ornamentos pintados.



interior da Igreja Ortodoxa
Igreja Ortodoxa

c) Igreja Católica - Catedral do Sagrado Coração


A Catedral do Sagrado Coração é uma igreja cristã; Ela é comumente referenciada como a Catedral de Sarajevo. É a maior catedral da Bósnia e Herzegovina e a sede do arcebispado de Vrhbosna, atualmente cardeal Vinko Puljić. É centro do culto católico na cidade. A Catedral também está localizada na Cidade Velha.



Fachada da Catedral do Sagrado Coração
Estátua de São João Paulo II


O Igreja  foi construída no estilo neogótico , com elementos do Renascimento românico . O edifício foi  contratado com o premiado vienense Baron Karl Schwarz e com o arquiteto supervisor Josip Vancaš .  O trabalho começou em 25 de agosto de 1884 e foi concluído em 9 de novembro de 1887. O bispo de Dubrovnik esteve presente para a consagração em 14 de setembro de 1889.

O prédio foi danificado durante o cerco de Sarajevo, mas não foi completamente destruído. Os danos já foram todos reparados.


interior da Igreja católica Catedral do Sagrado Coração


d) Sinagoga Judia (Ashkenazi) e Museu Judeu



A sinagoga de Sarajevo é a principal e maior sinagoga da Bósnia e está localizada na margem sul do rio Miljacka . Foi construída em 1902 e continua a ser a única sinagoga em funcionamento em Sarajevo até hoje.

Uma sinagoga sefardita tinha sido construída em 1581 com a doação do turco Beylerbey Sijamush Pasha para ajudar os membros da comunidade judaica de Sarajevo que eram pobres.  O prédio foi incendiado em 1679 e 1778, e foi reconstruído a cada vez. Agora serve como um museu judeu. Ao lado está a Nova Sinagoga (Novi Hram) que serve como uma galeria de arte pertencente à comunidade judaica de Sarajevo.




sinagoga - historiacomgosto
Museu - wikimedia commons



Judeus Ashkenazi chegaram a Sarajevo durante o Império Austro-Húngaro no final do século XIX. A sinagoga de Sarajevo Ashkenazi foi desenhada por Karel Paříke construída em 1902.



5. - A Guerra da Independência e o Cerco à Sarajevo


5.1 - O cerco de Sarajevo (texto wikipedia)


Foto de Mikhail Evstafiev, wikimedia
Após a Bósnia e Herzegovina fazerem sua declaração de independência da República Socialista Federativa da Iugoslávia, os sérvios, cujo objetivo estratégico era criar um novo Estado sérvio da República Srpska, o qual incluiria parte do território da Bósnia e Herzegovina, cercaram Sarajevo com uma força de cerca de 18.000 homens. 

Baseados nas colinas circundantes, assaltaram a cidade com armamento pesado, que incluía artilharia, morteiros, tanques, canhões antiaéreos, metralhadoras pesadas, lançadores múltiplos de foguetes, mísseis lançados de aeronaves e rifles sniper. Em 2 de maio de 1992, os sérvios bloquearam a cidade. As forças de defesa do governo bósnio, que estavam muito mal equipadas, foram incapazes de romper o cerco.




O cerco de Sarajevo foi o mais longo cerco da história da guerra moderna. Durou de 5 de abril de 1992 a 29 de Fevereiro de 1996.



Estima-se que mais de 12.000 pessoas foram mortas e 50.000 feridas durante o cerco, sendo 85% das vítimas civis. Por causa dessas mortes e da migração forçada, em 1995, a população da cidade caiu para 334.663 pessoas (64% da população de antes da guerra)

5.2 - Composição da população de Sarajevo


Em 1991, antes da guerra, a população de Sarajevo era de 527.049 pessoas sendo: 49.2 % muçulmanos, 29.81 % sérvios, 6.6 % croatas, 10.7 % Iugoslavos, 3.6 % outros.


5.3 -  Miss Sarajevo

Apesar de viverem sitiados, sem água potável distribuída, sem energia elétrica e sem gás, por um período de quase 4 anos, o povo de Sarajevo foi de uma bravura intensa na sua resistência. Eles não se dobraram materialmente na luta e nem se dobraram psicologicamente no cerco e nas privações. 

Apesar de viverem cercado por atiradores escondidos, o povo fez de tudo para levar uma viada normal. Até um concurso de Miss Sarajevo foi elaborado pelos artistas locais com participação das moças da cidade. O ponto  alto foi quando no final elas ergueram uma faixa "Don't let them kill us" ("Não deixem que eles nos matem").

Música do U2

O jornalista americano Bill Carter sugeriu a Bono uma ideia de filmar um documentário baseado no movimento de resistência subterrânea de Sarajevo. Não só Bono produziu o filme, mas também forneceu os fundos necessários para apoiar o projeto. 

"A câmera segue os organizadores através dos túneis e caves da cidade, dando uma visão única sobre a vida durante uma guerra moderna, onde os civis são os alvos. O filme captura o humor sombrio dos sitiados sarajevanos, sua recusa teimosa de serem desmoralizados e sugere que o surrealismo e o dadaísmo são as respostas apropriadas ao fanatismo ".

-Bono

Letra


Is there a time for keeping your distance
A time to turn your eyes away
Is there a time for keeping your head down
For getting on with your day
Is there a time for kohl and lipstick
Is there time for cutting hair
Is there a time for high street shopping
To find the right dress to wear
Here she comes, heads turn around
Here she comes, to take her crown
Is there a time to run for cover
Is there a time for kiss and tell
Is there a time for different colours
Different names you find hard to spell
....
Existe um tempo para ficar distante
Um tempo para inverter seu olhar
Existe um tempo para baixar a cabeça
Para ir em frente com seu dia
 Existe um tempo para usar batom e maquiagem Um tempo para cortar o cabelo
Existe um tempo para compras na avenida
Para encontrar o vestido certo para se usar
Lá vem ela, os olhares se voltam
Lá vem ela, para receber a coroa
Existe um tempo para correr para os abrigos
Um tempo para beijos e confissões
Existe um tempo para cores diferentes
Nomes diferentes, você sente dificuldade em soletrá-los
....

5.4 - O Massacre de Sreblinika - Museu "Gallery" em Sarajevo

O Massacre de Srebrenica foi o assassinato, de 11 a 25 de julho de 1995 de cerca de 8.000  bósnios muçulmanos, variando em idade de adolescentes a idosos, na região de Srebrenica, pelo Exército Bósnio da Sérvia, sob o comando do General Ratko Mladić e com a participação de uma unidade paramilitar sérvia conhecida como "Escorpiões".

Considerado um dos eventos mais terríveis da história recente, o massacre de Srebrenica é o maior assassinato em massa da Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Foi o primeiro caso legalmente reconhecido de genocídio na Europa depois do Holocausto.


foto de Srebrenika, Museu Gallery em Sarajevo

Tudo começou quando tropas sérvias invadiram Srebrenica, e a população local buscou abrigo em um complexo da ONU. Porém, dois dias depois, as forças holandesas da missão de paz da ONU, que estavam em menor número e não tiveram resposta quando pediram reforço a ONU, em Genebra, cederam às pressões das tropas de Mladic e forçaram milhares de famílias muçulmanas a deixar o local. Os invasores sérvios, então, organizaram os muçulmanos por gênero, enviando os homens para a execução. Cerca de 8 mil homens e meninos muçulmanos foram mortos. Também houve denúncias de estupros, seguidos de assassinatos, de mulheres e crianças.

Museu Gallery em Sarajevo

Em Sarajevo existem vários museus com o intuito de preservar a história dos mortos e de todos os horrores e sacrifícios decorrentes do cerco de Sarajevo, do Massacre de Srebrenica e outras batalhas como a de Mostar, ...,.

Um dos mais importantes e atuais é o Museu Gallery, dedicado ao genocídio de Srebrenica. Ele fica bem ao lado da Igreja Católica.


Cartaz mostrando a exposição do Museu Gallery que fica em algumas salas desse prédio. foto HistoriacomGosto

O Museu Gallery  11/07/95 é a primeira galeria memorial na Bósnia e Herzegovina - um espaço de exposição destinado a preservar a memória da tragédia de Srebrenica e as 8372 pessoas que morreram nos massacres. A exposição permanente fornece cenas documentais do que restou de Srebrenica na sequência deste genocídio. Através de uma ampla gama de conteúdos multimédia - imagens, mapas, materiais de áudio e vídeo, a Galeria oferece interpretação documental e artística dos eventos que ocorreram nesta pequena cidade da Bósnia-Oriental durante o mês de julho de 1995.
O objetivo geral deste museu é ser uma voz forte e decisiva contra todas as formas de violência no mundo. Srebrenica é um símbolo - não só da guerra na Bósnia e Herzegovina, mas também do sofrimento de pessoas inocentes e da indiferença dos outros.
museu1
fotos de caixões das pessoas mortas no massacre
Pessoas a procira de seus mortos

  museu2
cartazes clamando por atenção do mundo
cartazes clamando por atenção do mundo

Ratko Mladic é condenado à prisão perpétua por genocídio na Bósnia (22/11/17)


O Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia, em Haia, julgou Mladic culpado de dez das 11 acusações apresentadas contra o ex-general, incluindo o cerco a Sarajevo e o massacre de Srebrenica, dois dos maiores crimes cometidos durante a Guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995.

(Fonte: https://g1.globo.com/mundo/noticia/ratko-mladic-e-condenado-a-prisao-perpetua-por-genocidio-na-bosnia.ghtml)

5.5 - Sniper Alley - Alameda dos Atiradores


"Sniper Alley" ( bósnio Snajperska aleja ) foi o nome informal dado principalmente para a rua "Zmaja od Bosne Street"  e sua continuação (a principal avenida em Sarajevo), que durante a Guerra da Bósnia ficou na mira dos postos dos atiradores escondidos em topos de prédios, e tornou-se o símbolo infame de uma ameaça permanente, escondida e traiçoeira para os habitantes civis da cidade atravessarem aquela rua.

Antigo Hotel Holiday Inn, onde ficavam os jornalistas estrangeiros que cobriam a guerra


A avenida liga a parte industrial da cidade (e mais adiante, o Aeroporto de Sarajevo) para os locais culturais e históricos da Cidade Velha. A avenida em si tem muitos prédios altos que dão aos atiradores de campo extensivas áreas de tiro.

Igreja ao lado de um prédio todo alvejado de tiros, foto HistoriacomGosto

As montanhas que cercam a cidade também foram usadas para as posições de atiradores furtivos, proporcionando uma distância segura e dando uma excelente visão sobre a cidade e seu trânsito. 



Embora a cidade estivesse sob constante cerco dos sérvios, as pessoas ainda tinham que se deslocar para a cidade para sobreviver, tentando levar as suas vidas  de maneira rotineira. Sinais lendo " Pazi - Snajper !" ("Olhar para fora - Sniper!") tornaram-se comuns. 



As pessoas corriam rapidamente pela rua ou aguardavam os veículos blindados das Nações Unidas e caminhavam atrás deles, usando-os como escudos. 



De acordo com dados reunidos em 1995, os atiradores feriram 1.030 pessoas e mataram 225 sendo 60 crianças.



5.6 - As marcas da Guerra



prédio residencial com marcas de tiros, foto HistoriacomGosto

marcas 1

prédio residencial com marcas de tiros
prédio residencial com marcas de tiros







Ministério da Defesa - Sarajevo, foto HistoriacomGosto



prédio residencial com marcas de tiros
prédio residencial com marcas de tiros

5.7 - Túnel de Sarajevo / Túnel da Esperança / Túnel da Vida


O túnel de Sarajevo ou túnel da esperança, foi um túnel subterrâneo construído entre março e junho de 1993 durante o cerco de Sarajevo. Foi construído pelo exército bósnio, e voluntários, para ligar a cidade de Sarajevo  com uma área controlada pelas Nações Unidas  perto ao Aeroporto. 



O túnel ligou os bairros de Dobrinja e Butmir, permitindo que comida, material de guerra e ajuda humanitária chegassem à cidade e permitindo que as pessoas pudessem sair. O túnel tornou-se a maneira principal de contornar o embargo internacional de armas e fornecer meios de defesa e subsistência aos habitantes da cidade.


No início o projeto foi difícil, pois faltava mão de obra, ferramentas e materiais qualificados para completar a tarefa. Conseqüentemente, o túnel foi escavado à mão, com pás e picaretas, e carrinhos de mão ​​para transportar 1.200 metros cúbicos de detritos. O túnel foi escavado 24 horas por dia, com trabalhadores trabalhando em turnos de 8 horas escavando de extremidades opostas. Sua construção foi financiada pelo Estado, pelo Exército e pela cidade de Sarajevo. Os trabalhadores foram pagos com um pacote de cigarros por dia, um item que estava em alta demanda. (fonte: Wikipedia)

Museu Túnel da Esperança


Após a guerra, foi construído o "Museu Túnel de Sarajevo"  na casa  privada, cuja adega serviu de entrada ao túnel. Os visitantes ainda podem caminhar por um pequeno comprimento do túnel (aproximadamente 20 metros). O museu da "casa" exibe materiais de arquivo, incluindo um filme de 18 minutos de duração, fotografias de guerra, equipamentos militares, bandeiras, uniformes militares.

Casa que era entrada do túnel, foto de Baumi, wikimedia
trecho do túnel, foto de Veronika Kovalenko

6.0 - Museu e Biblioteca de Sarajevo


O prédio mostrado na foto abaixo foi a Prefeitura de Sarajevo até 1949. Ele foi transformado em biblioteca nessa data. O prédio foi completamente destruído em 1992 em um bombardeio do exército sérvio no cerco a Sarajevo. No incendio foram perdidos cerca de 2 milhões de livros. Completamente restaurado o prédio foi reaberto em 2015 como Museu e abrigará uma nova biblioteca.

Museu e Biblioteca de Sarajevo, foto HistoriacomGosto

Museu1
Pátio do Museu / Biblioteca
Teto Museu / Biblioteca

Museu 2
teto do Museu / Biblioteca
Teto do Museu / Biblioteca



Retrato da Catástrofe


Foto de Mikhail Evstafiev, Wikimedia Commons

Comentário de Mikhail Evstafiev:  Esta imagem é uma das minhas favoritas. Ela foi tirada durante a guerra em 1992 em Sarajevo na parcialmente destruída Biblioteca Nacional. O violoncelista é um músico local, Vedran Smailovic, o qual freqüentemente tocava de graça em diferentes funerais durante o cerco, apesar do fato que funerais eram constantes alvos das forças Sérvias.  

7 - População de Sarajevo - censos de 1991, estimativa 2002 e censo 2013


Em 1991, antes da guerra, a população de Sarajevo era de 527.049 pessoas sendo: 49.2 % muçulmanos, 29.81 % sérvios, 6.6 % croatas, 10.7 % Iugoslavos, 3.6 % outros.

Estimativa de 2002, de uma população de 401,118,  79.6 %  eram bosníacos (muçulmanos),  11.2 % Servios, 6.7 % Croatas and 2.5 % outros (Jews, Romas, etc.).

Em 2013, considerando apenas 04 municípios / distritos principais de Sarajevo, população de 275.524 habitantes, 80,74 % bosníacos muçulmanos, 3,78 % sérvios, 4.94% croatas  e 10.54 % outros. 

A observação que se faz é que existe uma tendência considerável e compreensível, da população bosníaca-muçulmana e população croata se fixarem na área da Federação Bósnia e da população sérvia se fixar na República Sérvia. Isso pode aumentar cada vez a mais a pressão pela separação e divisão do país nas duas áreas.

8 - Retratos de Hoje - Novi Grad


Novi Grad, "Cidade Nova" é o mais ocidental dos quatro municípios / distritos que compõem a cidade de Sarajevo, na Bósnia e Herzegovina. Os quatro municípios são: Stari grad (cidade velha) Centar (centro), Novo Sarajevo e Novi Grad (cidade Nova)





Histórico



Durante a década de 1970 , Sarajevo estava passando por um rápido desenvolvimento econômico e cultural, com grande expansão focada na população e na indústria. Novi Grad foi o resultado direto desse período de forte crescimento, em que muitos acres de terras que não eram previamente utilizadas foram transformados em centros urbanos comunistas preenchidos com prédios de apartamentos. Quando o município de Novi Grad foi formalmente reconhecido, tinha cerca de 60 mil cidadãos, em 18 bairros.





Novi Grad, foto de BiHVolim
De acordo com o recenseamento de 1991, o município de Novi Grad tinha 136.746 cidadãos. Quatro anos de Guerra da Bósnia derrubaram esse número tremendamente. Algumas seções de Novi Grad estavam entre as primeiras a serem ocupadas pelos agressores, enquanto a cidade foi repetidamente banhada por morteiros. Dos 33.517 edifícios residenciais do município, 92% foram danificados durante o cerco de Sarajevo .



Novi Grad desde então fez uma recuperação fantástica. Embora muitos buracos de bala e impactos de morteiros sejam visíveis em todo o município, é globalmente saudável e funcionando.

9. - Referências


Wikipedia - Sarajevo, Bósnia, Cerco a Sarajevo, Atentado contra o Arquiduque da Áustria, Massacre de Srebrenika

Youtube - Miss Sarajevo

Fotos: História com Gosto

Artigo "Debate sobre a representação da diferença e o significado da guerra na Bósnia-Herzegovina", Andréa Carolina Schvartz Peres, Pós doutoranda  pela UFRGS

Mikhail Evstafiev - Foto violoncelista na Biblioteca

3 comentários: