quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Vivaldi: As quatro estações e o período barroco na Itália

1. - Antonio Vivaldi






Antonio Lucio Vivaldi (Veneza, 4 de março de 1678 — Viena, 28 de julho de 1741) foi um grande compositor e músico do estilo barroco tardio oriundo da República de Veneza, atual Itália. Tinha o apelido de "O Padre Ruivo"  por ser um sacerdote católico de cabelos ruivos. 

Compôs 770 obras, entre as quais 477 concertos e 46 óperas. É conhecido do grande público principalmente por seus quatro concertos para violino e orquestra denominados Le quattro stagioni ("As Quatro Estações").


Ele foi um dos mais virtuosos violinistas de seu tempo e um dos maiores compositores da música barroca. Considerado o músico italiano mais importante, influente e original de seu tempo, Vivaldi contribuiu significativamente para o desenvolvimento do concerto, especialmente o solista,  e a técnica de violino e orquestração . 



Suas obras influenciaram muitos compositores de seu tempo, incluindo Bach, Pisendel, Heinichen, Zelenka, Boismortier, Quantz. O seu "Gloria" para orquestra e coral também é muito apreciado.


Vivaldi e Bach


Vivaldi foi contemporâneo de Johann Sebastian Bach que foi o mais importante dos músicos do período barroco pela suas inovações e explorações das possibilidades da música no seu tempo. Entretanto, não se deve esquecer que Vivaldi consolidou a forma concerto e a utilização do violino como peça chave das obras. Bach várias vezes adaptou obras de Vivaldi do violino para o orgão que era o seu instrumento preferido. 

Vida Pessoal

Filho de violinista, seguiu os passos do pai, enquanto estudava para o sacerdócio.


Em março de 1703  Vivaldi foi ordenado padre e em setembro de 1703 obteve o cargo de professor no Pio Ospedale della Pietá, uma instituição veneziana de caridade para moças abandonadas, mas talentosas, onde ensinou e conquistou fama internacional para suas alunas.



Em 1704, foi-lhe dada dispensa da celebração da Eucaristia devido à sua saúde fragilizada (aparentemente sofria de asma), e ele se voltou para o ensino de violino no Ospedale della Pietà.  Vivaldi compôs para elas a maioria dos seus concertos, cantatas e músicas sagradas.



A vida de Vivaldi foi sempre conturbada em face de sua posição de sacerdote que não celebrava missa, e de ser um compositor de sucesso e professor de colégio de moças. Vivaldi era sempre confrontado pelos bispos por seu envolvimento na vida do show business. 

Provavelmente durante o seu período em Mantova, Vivaldi conheceu Anna Giró, a qual seria escolhida pelo compositor para ser a intérprete de todas as suas óperas entre 1723 e 1740. Vivaldi era acusado de protecionismo, adaptar obras para a voz da cantora que não era tão potente, e também de manter com ela uma relação amorosa. Apesar de todos as suspeitas, críticas e comentários, nada na documentação histórica comprova esse fato. 



Final


A vida de Vivaldi, como a de muitos compositores de seu tempo, terminou infeliz entre as complicações de  ordem econômica e humana. Suas composições não foram particularmente apreciadas em Veneza: as mudanças rápidas nos gostos musicais e a preponderância do trabalho napolitano o deixaram fora de moda.



Vivaldi decidiu se mudar para Viena , onde ele havia sido convidado por Charles VI e onde ele esperava ocupar um cargo oficial. Também é bastante provável que Vivaldi tivesse em mente a montagem de algumas de suas óperas no "Kärntnertortheater". Para financiar sua transferência, Vivaldi não hesitou em vender uma grande quantidade de manuscritos.



Pouco depois de sua chegada a Viena, Charles VI morreu, o que deixou o compositor sem proteção real e sem uma fonte constante de renda. Logo depois, Vivaldi tornou-se empobrecido e morreu durante a noite de 27/28 de julho de 1741, com 63 anos de idade,  de "infecção interna", em uma casa de propriedade da viúva de um estadista vienense. Em 28 de julho, ele foi enterrado em uma simples sepultura  que era de propriedade do fundo do hospital público. O funeral de Vivaldi ocorreu na Catedral de Santo Estêvão.



III. - A Música de Vivaldi




Inovações de Vivaldi


Inovando as profundidades da música da época, Vivaldi destacou a estrutura formal e rítmica do concerto, buscando harmonias repetidas e inventando temas e melodias incomuns. Seu talento consistia em compor música inexplorada, clara e expressiva que poderia ser apreciada pelo público em geral e não apenas por uma minoria de especialistas.


Sua música, de fato, teve uma influência notável no estilo de vários compositores austríacos e alemães. Entre eles, o mais conhecido era o famoso Johann Sebastian Bach, que foi fortemente influenciado pela forma do concerto de Vivaldi: utilizou bastante os concertos de Vivaldi para serem transcritos para órgão, cravo solo ou para uma ou mais harpa e orquestra. Entre estes está o famoso Concerto para quatro violinos, arcos e cravo op. 3 n. 10(RV 580). 

Até recentemente, acreditava-se que Vivaldi transcrevia algumas obras de Bach para violino. Recentemente, foi demonstrado que o transcritor era na realidade Bach, que, por sua vez não se limitava à transcrição pura, mas enriquecia sistematicamente a trama de Vivaldi do ponto de vista do contraponto.





Música instrumental




Se o concerto solo, derivado do grande concerto, vê Giuseppe Torelli como um iniciador, é no entanto a Vivaldi que se deve atribuir a elaboração de uma forma que foi usada como modelo até o nascimento do concerto clássico. Uma boa parte de seus concertos são caracterizados, em dois movimentos rápidos, por uma alternância total com base em um refrão, que é reproduzido em vários tons.


O Império da ópera




No início do século 18, a ópera era o entretenimento musical mais popular. Provou ser mais rentável para Vivaldi. Havia vários teatros competindo pela atenção do público. Vivaldi começou sua carreira como compositor de ópera como uma linha lateral: sua primeira ópera, Ottone na villa (RV 729) foi realizada não em Veneza, mas no Teatro Garzerie em Vicenza em 1713.


Vivaldi compôs várias óperas. Em 1716, escreveu e produziu "L'incoronazione di Dario" (RV 719) e "La costanza trionfante degli amori e degli odi" (RV 706). A última foi tão popular que foi novamente reeditada dois anos depois. Também foi exibida em Praga em 1732. Nos anos seguintes, Vivaldi escreveu várias óperas que foram exibidas por toda a Itália.

Entre 1717 e 1718, Vivaldi ocupou a presitigiosa posição de Maestro de Capella da corte do príncipe Philip de Hesse-Darmstadt, governador de Mântua. Ele mudou-se para lá por três anos. Em 1722 ele mudou-se para Roma onde ele compôs mais óperas e foi convidado a tocar para o Papa Bento XIII. Em 1725 ele retornou para Veneza onde continuou produzindo óperas; 


Outros estilos



No auge de sua carreira, Vivaldi recebeu encomendas da nobreza e da realeza européia. A serenata (cantata) Gloria e Imeneo (RV 687) foi encomendada em 1725 pelo embaixador de França, em Veneza, em comemoração ao casamento de Luís XV . No ano seguinte, outra serenata, La Sena festeggiante (RV 694), foi escrita e estreada também na embaixada da França, comemorando o nascimento das princesas reais francesas, Henriette e Louise Élisabeth. O Opus 9 de Vivaldi, La cetra, foi dedicado ao Imperador Carlos VI, da Áustria.




IV. - As quatro estações




Le quattro stagioni, conhecidos em português como As Quatro Estações, são quatro concertos para violino e orquestra, compostos em 1723 e parte de uma série de doze concertos, publicados em Amsterdã em 1725, com o título "Il cimento dell'armonia e dell'inventione". 

Ao contrário da maioria dos concertos de Vivaldi, esses quatro têm um programa claro: vinham acompanhados por um soneto ilustrativo impresso na parte do primeiro violino, cada um sobre o tema da respectiva estação. Não se sabe a origem ou autoria desses poemas, mas especula-se que o próprio Vivaldi os tenha escrito.

O Soneto é uma espécie de poema complicado de se estruturar. Tem que ter um certo número de batidas em cada linha, um esquema de rimas específico e deve ter exatamente catorze versos.

As Quatro Estações é a obra mais conhecida do compositor, e está entre as peças mais populares da música barroca.


IV.1 - Primavera

1º  
andamento

A primavera chegou
Os pássaros celebram a sua chegada com canções festivas
e riachos murmurantes são docemente afagados pela brisa
Relâmpagos, esses que anunciam a Primavera,
rugem, projetando o seu negro manto no céu,
para depois se desfazerem em silêncio
e os pássaros mais uma vez retomam as suas encantadoras canções.







2º andamento

No prado cheio de flores com ramos cheios de folhas
os rebanhos de cabras dormem e o fiel cão do pastor dorme a seu lado.

3º andamento

Levados pelo som festivo de rústicas gaitas de foles,
ninfas e pastores dançam levemente sobre a brilhante festa da Primavera.


IV.2 - Verão


1º Andamento

Sobre uma estação dura
de um sol escaldante o homem descansa,
descansa o rebanho e queima o pinheiro
Ouvimos a voz do cuco;
ouvem-se então as canções doces da pomba
Doces aragens agitam o ar ...
Mas os ventos ameaçadores de norte subitamente aparecem
o pastor treme temendo a violenta tempestade e o seu destino.






2º Andamento

O medo dos relâmpagos e ferozes trovões
roubam o descanso aos seus membros cansados
As moscas voam zumbindo furiosamente

3º Andamento

Infelizmente os seus receios estavam justificados
os trovões rugem e majestosamente cortam o milho e estragam o grão.


IV.3 - Outono


1º Andamento

O camponês celebra com canções e danças
a felicidade de uma boa colheita.
Instigado pelo licor de Bacus,
muitos acabam a festa dormindo.




2º Andamento

Todos esquecem as suas preocupações e cantam e dançam
O ar está temperado com prazer e
pela estação que convida tantos, tantos
a saírem do seu recobro para participarem e se divertirem.

3º Andamento

Os caçadores aparecem com a madrugada
com trompetes e cães e espingardas começando a sua caçada
A caça foge e eles seguem o seu rasto
Aterrorizada e cansada de tanto ruído
de espingardas e cães, a caça, ferida, morre.

IV.4 - Inverno


1º Andamento

Tremendo de frio, no meio de cortantes ventos
os dentes tremem de frio.

2º Andamento

Descansa contente na sala
enquanto os que estão fora são atingidos pela chuva que não para.

3º Andamento

Andamos com cuidado no caminho gelado com medo de escorregar e cair
depois voltamos abruptamente e com cuidado, mas caímos no chão e
atravessamos o gelo enquanto não se quebra
voltamos a sentir o cortante vento norte apesar das portas fechadas
isto é o inverno que não obstante tem as suas delícias.









IV - A Orquestra - I Musici com Federico Agostini


a) I Musici


I Musici também conhecido como  Musici di Roma, é uma orquestra de câmara italiana, de Roma, formada em 1951. Eles são também conhecidos  pela sua interpretação de músicas barrocas especialmente por suas interpretações de Antonio Vivaldi e Tomaso Albioni. 

Entre suas realizações a orquestra fez tours aclamados pela Africa do Sul em 1956 e 1967. Em 1970 o grupo gravou o primeiro video de música clássica e posteriormente o grupo foi o proimeiro a gravar um cd para o selo da Phillips. 

Entre seus violinistas famosos podemos citar:  Salvatore AccardoFederico Agostini, Felix Ayo, Arnaldo Apostoli, Claudio Buccarella, Pina Carmirelli, Italo Colandrea, Anna Maria Cotogni, Walter Gallozzi, Roberto Michelucci, Antonio Salvatore, Mariana Sirbu, Franco Tamponi, Luciano Vicari.

b) Federico Agostini


Federico Agostini nascido em 1959 em Trieste, Itália, é um violinista renomado como solista, músico de orquestra de câmara e professor. 

Depois do aprendizado com seu avô, ele estudou violino no conservatório de música de sua cidade natal, Trieste,  posteriormente em Veneza e depois em Siena. Ele fez sua estréia como solista aos dezesseis anos. Posteriormente participou por muito tempo de apresentações com o grupo I Musici.


Eles fizeram juntos o filme de Anton van Munster (1934-2009)


V. - Filme


No youtube se encontra o filme completo, em espanhol, sem legendas, "Vivaldi, un Príncipe en Venecia". 

O link é  https://www.youtube.com/watch?v=IlKi8hg95Cg



VI. - Referências

OBSERVAÇÃO: Texto não original, compilado da wikipédia para divulgação cultural

Wikipedia: Antonio Vivaldi, as quatro estações, I Musici, Federico Agostini

Sonetos: Copiados de http://musicascomcultura.blogspot.com.br/2012/06/as-quatro-estacoe-de-vivaldi-os-seus.html

Sonetos e Vídeos: http://myowndesignexperiments.blogspot.com.br/2011/03/meanwhile.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário