quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Kotor, Montenegro - Uma beleza exótica.

1. - Introdução


Kotor ou Cátaro é uma vila de extraordinária beleza situada na baía também de nome Kotor, em Montenegro. É capital do município de Kotor, tendo cerca de 10.000 habitantes. 

A região de Kotor é famosa pelos seus fiordes, e é um dos principais destinos turísticos do País. 
Vista de Kótor, da subida para a fortaleza de São João

Pequena História Resumida


A região de Kotor foi primeiramente habitada pelos Ilírios,  do século III a.c. até o ano de 168 a.c., quando os romanos fizeram a ocupação que durou até a queda do império em 476 d.c.. Já no período dos Ilírios várias fortificações nas montanhas foram construídas. No período romano Kotor era conhecida como Ascrivium e fazia parte da província da Dalmácia. 

Depois da queda do império romano, a área passou para a influência do império bizantino e Kotor assumiu um papel de relevância principalmente devido à estrada para caravanas construída com direção ao interior da região. 

Com o nome de Cátaro (em italiano: Cattaro), a cidade e a região circundante fez parte, entre 1420 e 1797, da República de Veneza, período que influenciou de forma ainda hoje visível a arquitetura da cidade.



Em 1797 a área passou para o domínio dos Habsburgos (Império Austro Húngaro) tendo mudado para domínio de franceses e ingleses e voltado posteriormente para os Habsburgos até a eclosão da primeira guerra mundial.



Com o fim da primeira guerra toda a área passou a fazer parte da Iugoslávia, e depois da república da Sérvia e Montenegro até a proclamação da independência em Junho de 2006.


No período em que Montenegro, junto com a Sérvia, faziam parte do bloco soviético, uma grande onda de turistas russos frequentava a região. Agora com Montenegro fazendo parte da OTAN o tipo de turismo está mudando. É comum às pessoas que visitam a cidade de Dubrovnivk, Croácia, estenderem um dia para visitar Kotor que fica a cerca de 90 Km da cidade croata. Também tem aumentado consideravelmente a frequência de Cruzeiros que fazem a costa da Croácia e incluem Kotor em uma parada.


2. - Montenegro


Montenegro é um pequeno país montanhoso situado nos Bálcãs, no Sudeste da Europa. Ele faz fronteira com o mar Adriático a sudoeste, com a Albânia e o Kosovo a sudeste, com a Bósnia e Herzegovina e com a Croácia a noroeste, e com a Sérvia a nordeste. A sua capital é a cidade de Podgorica.






Durante muito tempo, Montenegro constituiu um principado autônomo diante do domínio que o Império Otomano exercia nos Bálcãs. A sua independência foi formalmente reconhecida pelo Tratado de Berlim de 1878 (que também reconheceu a independência da Bulgária, da Romênia e da vizinha Sérvia).

Em 1910, o príncipe Nicolau proclamou-se rei. No entanto, o reino do Montenegro existiu durante apenas oito anos. Com o fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918,  Montenegro foi integrado no Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos.



3. - Kotor, Geografia e  Relevo


3.1 - Península - Bocas de Cataro (Baía de Kotor)


O mar adriático, entra a sudoeste da costa por cerca de 29,6 Km no território montenegrino, criando uma composição única, feita pela natureza,  que culmina com a formação das "Bocas de Cataro" / "Baía de Kotor".  

A baía é cercada por dois maciços dos Alpes Dináricos : as montanhas de Orjen a oeste e as montanhas Lovcen a leste. A seção mais estreita da baía, o Estreito Verige, mede apenas 340 m de largura em seu ponto mais estreito. A baía é um leito do rio Bokelj, que desapareceu e que descia das áreas altas do monte Orjen.

A baía é composta por várias pequenas baías, unidas por canais mais estreitos. A entrada da baía era anteriormente um sistema fluvial. Processos tectônicos e karstificação (processo de modificação da topografia devido a dissolução da rocha) levaram à desintegração deste rio.

A parte mais distante da baía é a baía de Tivat. Do lado do mar está a baía de Herceg Novi, na entrada principal da baía de Kotor. As baías interiores são a Baía de Risan , a noroeste e a Baía de Kotor, a sudeste.


Mapa do Google contendo a baía de Kotor



A Baía de Kotor


Visão panorâmica da Baía de Kotor, foto de HistoriacomGosto


A Baía de Kotor é considerada um Fiorde apesar de algumas vezes ser chamada de Ria. Veja a diferença entre elas.



Fiorde é uma grande entrada de mar entre altas montanhas rochosas. Os fiordes situam-se principalmente nas costas da Noruega, Groenlândia, Chile e Nova Zelândia, onde são um dos elementos geomorfológicos mais emblemáticos da paisagem, e têm origem na erosão das montanhas devido ao gelo.

Ria é um acidente geomorfológico que se apresenta como um vale fluvial no entorno da foz de um rio, em que um vale costeiro permanece submerso sob as águas. Outra acepção é a que descreve tal acidente geográfico como uma costa muito recortada e onde o mar é pouco profundo. Em termos gerais é um braço de mar que adentra na costa e que está submetido à ação das marés.

3.2 - Montes e Relevo Montanhoso


O relevo montenegrino varia de altos picos montanhosos nas fronteiras com Albânia e Sérvia, com uma estreita faixa plana no litoral. A parte plana transforma-se abruptamente nas montanhas presentes à beira da Baía de Kotor como o Monte Lovćen e o Monte Orjen. 



A cadeia de montanhas por trás da cidade de Kotor é a cadeia Lovcén.
 

4. - A cidade velha de Kotor e suas fortificações


A cidade está rodeada por sólidas muralhas, construídas na época dos bizantinos, com altura de até 20m. O comprimento da muralha é de 4,5 Km e sua espessura varia de 2 a 15m. Uma antiga fortaleza no alto do morro de São João (260 m) foi construída dentro da muralhas da cidade. Bedem Kotor é um exemplo único de arquitetura de fortificação na Europa.

4.1 - Morro e Fortaleza de São João

O topo da montanha de São João fica a uma altura de 280 m e  já estava fortificado durante os tempos Ilírios. 

No século VI, o imperador Justiniano I reconstruiu a fortaleza. Posteriormente, como parte da Albânia Veneta (conquistada pelos venezianos), as fortificações receberam sua estrutura atual. Durante este tempo, houve dois assentamentos otomanos bem sucedidos seguidos de ocupações, 1538-1571 e 1657-1699. 

Durante a Segunda Guerra Mundial, Kotor foi ocupado pelas forças do Eixo e libertado em 21 de novembro de 1944, uma data comemorada sobre o Portão do Mar.

Os terremotos graves que danificaram as fortificações ocorreram em 1563, 1667 e, mais recentemente, em 15 de abril de 1979.










Atenção, para subir são 1350 degraus, uma distância de 1200 metros e chega-se no final e a uma altura de 260~280 m acima do nível do mar.  Muita gente se confunde com essas medidas. de toda forma é cansativo e gasta-se cerca de 2 a 3 horas para subir e descer. Gasta-se mais para parar tirar fotos, ...,. A primeira parada é na Igreja que fica a um terço do caminho, cerca de 520 degraus ou cerca de 100 m.


Igreja de Nossa Senhora da Saúde


A Igreja de Nossa Senhora da Saúde é uma igreja muito pequena, de rito ortodoxo sérvio, localizada  na encosta do Monte de São João e data de 1518. Ela fica na rota de acesso ao forte São João, um pouco mais de 1/3 da subida (520 degraus).
Sob a igreja foram encontrados vestígios arqueológicos de construções prévias do século VI.






Fortaleza de São João




Fortaleza de São João, foto de Irina Papoyan em Shutterstock.com



4.2 - Portões de Entrada e vias de circulação

- Gate do Mar

A cidade de Kotor tem três entradas. A entrada para o mar, renovada em estilo renascentista em 1555, leva ao passeio da cidade e à costa; O portão do rio, reconstruído no mesmo estilo em 1540 para a comemoração da vitória sobre a frota de Hajredin Barbarossa, leva a Risan e Herceg Novi; enquanto o Portão Gurdic, restabelecido no final do século XVII, conduz à Trojica e ao cruzamento de Cetinje-Budva.







- Ruelas e Vias

A cidade é caracterizada por inúmeras características de um assentamento mediterrânico típico: quadrados maiores e menores e ruas estreitas e curvas.







4.3 - Igrejas

Catedral de São Tryphon


A Catedral de São Tryphon uma das duas catedrais católicas romanas em Montenegro . É a sede do bispado católico de Kotor, que cobre todo o golfo.


A Basílica de São Tryphon é o monumento mais bem conservado de Kotor . Ela foi construída em 1166. Isso significa 326 anos antes da descoberta da América, 509 anos antes da Igreja de São Paulo em Londres.  Ela é apreciada não só pela data de construção, mas por suas soluções arquitetônicas, escultura decorativa, e fragmentos de afrescos do século XIV.  Por isso tudo ela representa um monumento cultural e artístico de valor inestimável.




São Tryphon foi um santo cristão do século III . Ele é venerado pelas igrejas católicas romanas e ortodoxas orientais como um grande mártir. 

São Tryphon é dito ter sido nascido em Kampsade  e como um menino tomava conta de gansos. Seu nome é derivado do grego τρυφη ( tryphe ) que significa "suavidade, delicadeza". Ele adquiriu fama como curandeiro, especialmente de animais, e é particularmente invocado nas fazendas. 

Durante a perseguição de Diocleciano aos cristãos, ele foi levado a Nicaea no ano 250 e foi torturado de maneira horrível. Ele foi decapitado com uma espada depois de ter convertido o prefeito pagão Licius. Histórias fabulosas são entrelaçadas com sua hagiografia




Igreja de São Lucas


A igreja de São Lucas foi construída em 1195 como uma igreja católica. Entretanto, no intervalo de 1657 a 1812 a igreja foi compartilhada por católicos e ortodoxos que se revezavam em suas celebrações. A partir de então ela foi designada como uma igreja ortodoxa.


Esta igreja é o único edifício da cidade, que não sofreu danos significativos durante o terremoto em 1979. A igreja de Sveti Luka (São Lucas) foi pintada imediatamente após a construção da qual apenas os fragmentos na parede sul permaneceram.

Daskal Dimitrij, fundadora da escola de pintura da Baía de Kotor fez a iconostase da igreja do século XVII. A igreja hoje é significativa por causa do fato de ter dois altares, um católico e um ortodoxo. 






Igreja Ortodoxa de São Nicolau


São Nicolau é a Igreja Ortodoxa mais importante de Kotor. Localizada na cidade velha e em um dos lados da Praça de São Lucas. Foi construída no início do século XX, nas fundações de um antigo edifício que foi destruído pelo fogo no século XIX.



A construção da igreja começou em 1902 e terminou em 1909. Foi construída no estilo pseudo-bizantino como igreja de uma nave. A igreja tem e uma grande cúpula que sobe acima dos telhados, enquanto os detalhes foram feitos em estilo românico.



A fachada principal é moldada com duas torres de sino, com suas cúpulas pretas cobertas por cruzes de ouro que eram um presente da Rússia. 



As peças de prata são impressionantes, desde pequenos e grandes candelabros até lustres enormes.

De valor especial na igreja é iconostase da igreja feita em 1908. pelo pintor checo Frantisek Ziegler.










4.4 - Palácios

Palácio do Príncipe



O Palácio do Príncipe em Kotor foi fundado no século XVIII e é um valioso monumento da arquitetura renascentista.  A construção não tem brilhantes características barrocas, com exceção de suportes curly que suportam a varanda longa. Inicialmente, o palácio foi usado como residência do governador veneziano, e em 1788 o palácio foi transformado em quartél  militar. 








A forma do edifício está fortemente esticada, tem um comprimento de 60 m e uma largura de 6 m. Essa característica da arquitetura tornou a construção muito vulnerável a todos os terremotos. Em 1979, durante um terremoto, o Palácio do Príncipe foi quase completamente destruído. A construção foi gradualmente restaurada, e hoje o palácio está completamente recuperado graças aos proprietários de pequenas lojas no piso térreo.



Palácio Grgurina


No palácio Grgurina, há um Museu Marítimo, onde uma rica coleção de armas antigas, danças folclóricas, modelos e pinturas de veleiros e navios de montanhas e batalhas marítimas envolvendo os marinheiros de Boka. Na praça em frente à catedral está o arquivo de Istria de Kotor, cujo documento mais antigo conservado data de 1326.






5. - A vila de Perast


Perast é uma pequena Vila de cerca de 500 habitantes, que se encontra a poucos kilometros de Kotor. A vila encontra-se sob a colina de São Ilíque (873 m) e é bem famosa pela sua proximidade com as duas ilhtoas de Nossa Senhora das Rochas e São Jorge.



Um dos passeios aconselhados para quem visita Kotor é tomar um barco no porto de Kotor e fazer uma visita de 2 a 3 horas incluindo Perast e as duas ilhas. 










6.- Ilha de St George


A ilha contém o mosteiro beneditino de São Jorge do século 12 e o antigo cemitério para a antiga nobreza de Perast. Presume-se que os beneditinos ocuparam a ilha desde o século IX mas os registros existentes são apenas do século XII, quando da consagração do mosteiro até hoje existente. Por ser também um cemitério a ilha foi por algum tempo conhecida como a ilha dos mortos. Porém os beneditinos plantaram muitos ciprestes caracterizando a transição da morte para a vida e embelezaram a ilha que se tornou então fonte de inspiração para artistas e pintores. 






7. - Ilha de Nossa Senhora do Rochedo 



Nossa Senhora das Rochas é uma ilha artificial criada por colocação de  rochas de  navios velhos apreendidos e afundados carregados de pedras.  No local foi construída a Igreja Católica Romana de Nossa Senhora das Rochas e é o único edifício da Ilha com um museu em anexo. Há também uma luz de navegação na extremidade ocidental do ilhéu.



Segundo a lenda, o ilhéu foi feito ao longo dos séculos pelos marinheiros locais croatas que mantiveram um antigo juramento depois de encontrar o ícone de "Nossa Senhora e o menino Jesus" na rocha no mar em 22 de julho de 1452. Ao retornar de cada Viagem bem sucedida, colocavam uma pedra na Baía. Ao longo do tempo, o ilhéu emergiu gradualmente do mar.  



O costume de lançar pedras no mar está vivo até hoje. Todos os anos no pôr-do-sol de 22 de julho, um evento chamado "fašinada" no dialeto local, é comemorado. Nele, os moradores locais levam seus barcos e lançam pedras no mar, ampliando a superfície da ilha. 







A igreja foi atualizada em 1722.  A igreja contém 68 quadros de Tripo Kokolja , um famoso artista barroco do século XVII de Perast . Sua pintura mais importante, de dez metros de comprimento, é A Morte da Virgem



8. - Hospedagem e vizinhança de Kotor

A hospedagem em Kotor não é cara. Colocamos aqui um exemplo da  Villa de Banicekvick. Uma hospedagem atendida pela família Banicevick onde você é tratado como se chegasse na casa de seus avós que não te vêem há algum tempo. A vista é espetacular e dá aquela vontade de ficar mais tempo. De Kotor pode-se ir a Perast, Budva e Tivar. e ainda Podgorica É uma opção para quem tem tempo e o objetivo é conhecer Montenegro mais calmamente.



Vista da Baía de Kotor a partir da varanda da Villa Baniccevic


Baía de Kotor com o tempo um pouco nublado


Anoitecer na Vila Banicevick. Um vinho, uma cerveja, pão, queijo, presunto e uma bela paisagem.

9.- Distância de  Dubrovnik e Budva


De Dubrovnick para Kotor, gasta-se em torno de 2 horas considerando que temos que atravessar a fronteira entre Croácia e Montenegro e esse procedimento leva em cerca de 20 min fora de temporada. Deve-se também tomar o ferry boat de Kamenary para Lepetane evitando de fazer todo o contorno da baía.



Um outro passeio recomendado para quem está em Kotor é visitar Budva e Svet Stephan. São cerca de 25 Km (40 min dependendo do trânsito) para Budva e mais 10 Km (15 min) até a praia e ilha de Sveti Stefan. As duas são famosas pelas belezas de suas praias.


10 - Referências

Kotor - Wikipédia
Kotor - Tourist Monograph
Notas de viagem - História com Gosto

2 comentários: