segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Os Papangus e a tradição na cidade de Bezerros

I - Os Papangus no Nordeste


Figura folclórica nordestina, os papangus eram homens fantasiados com túnicas que os cobriam dos pés à cabeça. Na cabeça havia um capuz com abertura apenas para os olhos e a boca. Todas as crianças da época (anos 50), morriam de medo dos papangus. Esse post tem a finalidade de fazer a divulgação cultural dessa tradição.



Papangu de Bezerros / UOL Carnaval / Autor Não identificado




II - Histórico (Transcrito integralmente do site www.onordeste.com)




Origens



O diário do Nordeste publicou em seu site www.onordeste.com, que:

Existem várias versões que contam a origem de uma tradição centenária: Os papangus do carnaval de Bezerros, cidade localizada no agreste Pernambucano.

Segundo o professor Ronaldo J. Souto Maior, fundador do Instituto de Estudos Históricos, Arte e Folclore dos Bezerros, a origem dos Papangus de Bezerros data de 1881. 

O papa-angu nasceu de uma brincadeira de familiares dos senhores de engenhos, que saiam mascarados e mal vestidos para visitar os amigos nas festas de entrudo (antigo carnaval do século dezenove) e comiam angu, comida típica do agreste pernambucano. Por isso, as crianças passaram a chamar os mascarados de papa-angu. 

foto de Felipe Branco Cruz / UOL


Há versões populares sobre a origem desses personagens no carnaval de Bezerros. Uma, vem de uma história muito antiga: dois irmãos que comiam muito angu resolveram cortar as pernas das calças e cobrir o rosto com capuz para não serem reconhecidos, mas o disfarce não funcionou. Foram descobertos pela gula. Outra, é que, no século 19, os mascarados ganharam esse nome depois que uma senhora resolveu preparar angu de xerém para alimentá-los. 

Segundo contam os moradores mais antigos de Bezerros, a brincadeira começou quando alguns homens quiseram brincar o carnaval sem serem reconhecidos, para despistar a atenção de suas esposas. A brincadeira foi pegando e a cada ano aumenta o número de mascarados nas ruas.

Papangus de Bezerro, foto: FolhaPe


As máscaras

Antigamente o papangu tinha a máscara confeccionada com coité (cuia do fruto) ou com jornal e goma, cuja pintura era feita com azeitona preta, açafrão e folha de fava. Possuía chocalhos ao redor da roupa, que era enfeitada com palha de banana e na mão levava um maracá de coco seco com pedra dentro, trajavam roupas velhas, rasgadas com remendos e meias nas mãos, por isso eram conhecidos como Papangus Pobres.

A história foi mudando e a partir dos anos 60, as roupas velhas foram substituídas por caftas ou túnicas compridas e estampadas, que vestem dos pés à cabeça, colocam as máscaras para ficarem totalmente cobertos, pois a meta é se esconder, ganhando a farra sem ser identificados. Atualmente, a matéria-prima usada nas máscaras é o papel colê e machê.

foto Leonardo Rodrigues / UOL


A principal regra desta importante tradição carnavalesca é manter o sigilo sobre as máscaras que serão usadas, para que ninguém venha a ser reconhecido. Então, quando vai chegando à época próxima do carnaval, os foliões procuram confeccionar suas fantasias em segredo, para não correrem o risco de ser desmascarados antes da festa. Outros pontos foram mantidos: a troca de roupa em lugares desconhecidos, às "visitas" aos amigos e, antes de cair na folia, o costume de comer angu, que é normalmente fornecido pelos moradores locais.

O Papangu de Bezerros



A consolidação da tradição veio em 1990 quando a cidade de Bezerros surgiu no cenário nacional e ficou conhecida como a Terra do Papangu. Em Bezerros, a cultura do papangu é vivenciada durante o ano inteiro, através das oficinas de máscaras, da culinária desenvolvida com variados pratos feitos com angu, além das oficinas de dança e música carnavalesca.


foto de Felipe Branco Cruz / UOL





III - Onde fica Bezerros, Pernambuco


Situada a 110 Km de Recife, com uma população em torno de 60.000 habitantes,  o município de Bezerros é formado pelos distritos sede: Encruzilha, Sapucarana e Boas Novas e pelos povoados de Serra Negra, Sítio dos Remédios, Cajazeiras e Areias.



A origem de Bezerros data de 20 de maio 1870. Nessa época foi implantado um grande comércio de gado, iniciando o povoamento do local. Algumas versões da história de Bezerros tentam explicar o nome da cidade. A primeira diz respeito ao sobrenome da família Bezerra, que foi a primeira proprietária das terras. A segunda diz que o local foi, primitivamente, uma queimada de bezerros. A terceira conta que um dos filhos da família Bezerra se perdeu na reserva florestal no dia 18 de Maio, tendo sido feita uma promessa a São José, sendo a criança encontrada com vida dois dias após seu sumiço, ou seja, dia 20 de Maio, ao pé de frondosa árvore onde foi erguida uma Capela sob a invocação de São José dos Bezerros.

A economia do município consiste na agricultura, sendo um dos maiores produtores de tomate do Estado; na indústria destacam-se suas fábricas de bolos. Bezerros destaca-se também nas fabricas de doces. 

Carnaval de Bezerros é o 3º mais procurado e visitado de todo o estado de Pernambuco. Também conhecida como a terra do Papangu.


IV - Referências

- O texto desse post referente aos "Papangus" foi resumido do site www.onordeste.com, a parte referente ao municipio de Bezerros veio da Wikipedia.com

- Fotos são do UOL carnaval (Felipe Branco e Leonardo Rodrigues) e da FolhaPe. 

Obs: A primeira foto não consegui identificar o autor pois ela não está mais disponível na publicação original do UOL. Caso tenhamos errado na autoria de alguma foto faremos a correção quando identificado. Se algum autor também não quiser a sua publicação, a retiraremos assim que notificado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário