sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Itaúnas, terra das dunas e do forró.

I. - Itaúnas


Itaúnas é um distrito do município de Conceição da Barra, Espírito Santo. O nome Itaúnas é um topônimo de origem tupi que significa "pedra negra", através da junção dos termos itá = pedra e un = negro. O nome lhe foi atribuído em alusão às pedras negras do fundo do Rio Itaúnas, que margeavam a antiga vila.




Sua sede é uma pequena vila turística, muito famosa por suas praias, pela paisagem marcante das Dunas de Itaúnas e pela tradição do forró pé-de-serra.


II - História


A Vila de Itaúnas surgiu por volta do século XVIII, em decorrência da derrubada da mata nativa, abundante na época devido às empresas de celulose.

Há muitos anos, a vila possuía uma pequena faixa de mata que a separava do mar. Era essa vegetação que segurava o avanço do lençol de areia, que se movimenta constantemente com a ação do vento Noroeste, muito comum no norte do Espírito Santo. 

Com a derrubada dessa faixa de mata, entre as décadas de 1950 e 1970, a areia avançou sobre a antiga vila, soterrando-a. Hoje restam apenas algumas ruínas, que podem ser observadas de tempos em tempos, quando a areia as descobre. 

Enquanto a vila era encoberta pela ação da natureza, a prefeitura de Conceição da Barra adquiriu terras do outro lado do rio, pertencentes a Teófilo Cabral da Silva. Ali, foi erguida a nova vila, que lá se encontra até hoje. 




A Vila de Itaúnas é um local extremamente bucólico, com ruas de barro e casas simples, mas muito conservadas. Há iluminação pública e água tratada e encanada. O povo é hospitaleiro e receptivo, sendo bastante comum se deparar com "nativos" ensinando passos de forró a turistas de todo o mundo, especialmente na alta temporada (partes de dezembro e fevereiro, e os meses de janeiro e julho).



III - As Dunas



As dunas compõem uma linda paisagem. O cordão de dunas estende-se desde o extremo-sul baiano até as encostas do Rio Doce, estando fixado por vegetação na maior parte do trajeto. No ponto onde o Rio Itaúnas, desvia seu curso para o sul seguindo a orientação do vento e das areias, nasceu a Itaúnas Velha, para dar sustentação à produção da farinha de mandioca.

Na década de 1950, a fragilização da vegetação que continha as dunas entre a vila e o mar empoderou os ventos. Levada pelo Vento Nordeste no verão e pelo Vento Sul no inverno, a areia caminha implacável ainda hoje. No caminho soterrou a Antiga Vila. Nos anos 1960-1970, a Vila renasceu do outro lado do Rio Itaúnas. Da Itaúnas Velha restam ruínas; Alicerces da antiga Igreja (que foi de São Brás e São Sebastião)e o mastro do santo resistem. Objetos pessoais, louça e restos de construção são facilmente encontrados.


Para chegar à praia de Itaunas é necessário atravessar as dunas em uma caminhada de não mais de 15 minutos, mas sob um sol escaldante.






O pôr do sol

Como já caraterístico em toda praia que tem dunas, o programa de sentar no topo das dunas para esperar o pôr do sol é obrigatório de se fazer pelo menos uma vez. 




IV - As praias


a) Praia principal

A praia principal de Itaúnas é uma praia de águas quentes porém de mar aberto. Apesar de ter ondas fortes, como não existem buracos na praia ele se torna menos perigosa. Além disso, quando a marés está baixa apresenta uma larga faixa de areia, propícia a caminhadas. Na praia existe uma infra-estrutura mínima de barracas com bebidas e petiscos. Porém como a praia fica dentro do parque que é uma área reservada, as opções são poucas. O ponto alto da praia que chamou a atençao é o grande número de salva-vidas dispostos ao longo da praia. 



b) Praia do Riacho Doce


Distante cerca de 30 Km de Itaúnas a praia do riacho doce é um atrativo a mais para quem está na região. Por uma estrada de terra bem conservada chega-se na pousada do Celsão e depois no "estacionamento" da Praia do Riacho doce.

A praia em si é praticamente igual a de Itaúnas com pequena duna e grande extensão de praia; O diferente é a existência do Riacho que faz a divisa com a Bahia e onde existe uma barraca para se passa o dia. Vale chamar atenção é que para chegar no riacho e na barraca precisa uma caminhada de uns 15 min pela praia. 







V - A vila


a) Centro






b) Bares




c) Restaurantes


Restaurante do Cezino
Filé com queijo e banana - Rest. Cezino

Restaurante Pedrolina - Moqueca e frutos do mar
pizzaria Oasis - forno a lenha


d) Pousadas


Pousadas Zimbaue e Pargos

Pousada Zimbaue
Pousada Pargos
Pousada Ka 347

Em 2016 foi inaugurada a pousada Ka 347, com o conceito de oferecer conforto e descontração. Com uma cozinha aberta para a utlização dos hospédes, a pousada oferece a oportunidade de você fazer uma confraternização com amigos em torno de uma boa mesa. De muito bom gosto a pousada vem contribuindo com o conhecimento empresarial de seus donos para um aumento de padrão de todos os estabelecimentos de Itaúnas.




área de lazer da pousada Ka 347

VI - Eventos


Além do verão, carnaval, semana santa, que são os feriados tradicionais em todos os lugares, Itaúnas também tem as suas próprias atrações locais. 

a) Festival de Forró


"A idéia de realizar o FENFIT - FESTIVAL NACIONAL FORRÓ DE ITAÚNAS surgiu no ano de 2001, como incremento ao movimento cultural de forró pé-de-serra desencadeado em Itaúnas, extremo norte do Espírito Santo, na década de 80. Ao longo dos anos, a pequena e pacata vila de Itaúnas tornou-se palco para a revelação de grupos como FALAMANSA, RASTAPÉ e TRIO VIRGULINO, contribuindo também para a reapresentação de outros, tais como TRIO NORDESTINO, OS TRÊS DO NORDESTE, TRIO JUAZEIRO e TRIO SABIÁ.

O forró pé-de-serra agradou o público paulista a princípio, que levou a moda como sendo o forró universitário. Os visitantes começaram a vir, atraídos pelo forró e também pelas belezas naturais locais. O boca-a-boca sempre foi a maior mídia do forró e o movimento cresceu muito." (site forro de itaunas)

foto do site FENFIT, autoria de Marcus Ferreira



Em 2016 ocorreu a 16a edição do Festival Nacional do Forró de Itaúnas. Nessa edição houve a presença de Luci Alves, Fala Mansa e Alceu Valença.

O festival de forró acontece no mês de julho.



b) Festival Gourmet



O Festival Itaúnas & Sabores nasceu da forte influência da gastronomia no turismo e na vida dos capixabas. Itaúnas é o cenário perfeito para degustar os sabores e saberes em uma experiência gastronômica diferenciada, despojada e harmonizada ao som de boa música.

Além de se encantar com a arte e música do 1º Itaúnas & Sabores, os turistas e moradores poderão usufruir de uns destinos mais procurados por turistas que visitam o Espirito Santo.

Agregando belas paisagens e comida de qualidade, os festivais já são tradição nas cidades capixabas. A Festa da Polenta, Festival Gastronômico de Manguinhos e o Santa Teresa Gourmet são exemplos deste segmento, que cresce a cada ano. A pluralidade do povo capixaba, com seus imigrantes italianos, pomeranos e os povos negros e indígenas, faz da gastronomia local uma das mais ricas do país.

O Festival gastronômico acontece no mês de setembro.


c) Festa da Cidade - festa de ticumbi


Há mais de 300 anos, Itaúnas, no Espírito Santo, guarda suas tradições de origens antigas vindas da África. Essa manifestação folclórica ocorre anualmente em Itaúnas entre os dias 19 e 20 de janeiro. 

A Vila Itaúnas se enfeita com flores coloridas e fitas embalados ao som dos pandeiros e tambores dançando a coreografia ensaiada e passada de geração em geração.

foto: viladeitaunas.com.br
foto:viladeitaunas.com.br

Trajados seguindo a tradição pelas ruas, alegrando a Vila Itaúnas e Homenageando a S.Benedito e S.Sebastião (santos católicos e padroeiros de Itaúnas).

A festa de Ticumbi acontece sempre nos dias 19 e 20 de janeiro. 

VII - Referências


MapadaVila de Itaunas

Wikipedia: Itaunas

Notas de Viagem: HistoriacomGosto



Nenhum comentário:

Postar um comentário