sexta-feira, 14 de outubro de 2016

O Kremlim em Moscou - Nove séculos de História

I - O Kremlim de Moscou


Em 1156, o príncipe Yuri Dolgoruki escolheu a confluência dos rios Moskva e Neglinaya para construir a primeira fortaleza (Kremlin) de madeira na cidade. No fim do século XV o Tsar Ivã III convidou vários arquitetos italianos famosos para construir novos prédios suntuosos. Eles projetaram a Catedral da Assunção e o Palácio facetado entre outros, numa fusão de estilos russo e renascentista. 

Desde o início até hoje o Kremlin de Moscou tem sido  a cidadela dos Tsares, sede do Governo da União Sovíética, residência do Presidente russo e um verdadeiro símbolo do poder do Estado. 



Apesar de tudo, o Kremlin não escapou do furor e loucura de alguns ditadores como Stalin que nos anos de 1930 fechou a área e derrubou vários palácios e igrejas em nome do comunismo. Só em 1955, dois anos após a sua morte, que o Kremlin voltou a ser parcialmente aberto ao público.

Como nessa área está a sede do governo e a residencia do presidente russo, apenas metade da área está aberta a visitação. Mas como vocês poderão ver é suficiente para um dia inteiro de descobertas, apreciações e aprendizado da história e das conquistas iniciais do povo russo. 


II -Igreja dos doze apóstolos e o Palácio do Patriarca


Os metropolitas (bispos) russos viveram muito tempo no local do atual palácio. No século XVI, quando foi criado o patriarcado, os metropolitas foram deslocados para outro local e esse passou a ser a residência da figura mais graduada da igreja local. 



Hoje o local é o museu da vida e arte aplicada do século XVII contendo várias peças do acervo do Arsenal do Estado. 

A sala central com vários objetos da liturgia ortodoxa tem cerca de 280 m2 e quando ela foi constrúida era a maior em vão livre existente na cidade. No início ele era um salão de cerimònias mas depois foi destinado a confecção dos óleos sagrados (miro). Os toneis de prata e o fogão ainda estão conservados no local e estão a mostra conforme anexo.


Em uma sala ao lado encontra-se uma Iconostase (altar sagrado) que remonta a 1700 e foi trazido do convento da Ascenção, no Kremlin, antes de sua derrubada em 1929. 

Iconostasis 

Iconostasis


No cristianismo oriental um iconostasis (plural: iconostases ) é uma divisória ou parede que serve como suporte estável para ícones e pinturas religiosas, e marca o limite entre a nave e o altar ou santuário. O termo pode também ser usado para se referir a um conjunto de dobragem, portátil de ícones.

III - O Campanário de Ivã, O Grande, Sino e Canhão do Tsar


O Campanário - Esse campanário foi construído entre 1505 e 1508 segundo projeto de Marco Bon Frazin. Herdou o nome da igreja de Santo Ivã Clímaco, que se erguia no local no século XIV. Chama-se do "O grande" devido a sua altura de 81 m quando em 1600 o Tsar Boris Goudonov adicionou o terceiro pavimento  e ele tronou-se o prédio mais alto de Moscou.

O Canhão - Fundido em 1586 pesa 40 toneladas

O Sino - Do lado de fora do campanário encontra-se o enorme sino do tsar. Ele é o maior do mundo e pesa cerca de 200 toneladas. Em 1701 durante um incendio ele caiu e se quebrou. Os seus fragmentos foram usados paa confecção de outro sino. Este ainda se encontra dentro do molde. Em outro incendio em 1737 jogou-se água fria sobre o sino quente o que originou a quebra de um pedaço grande que se encontra ao seu lado. 



Canhão do Tsar
Sino do Tsar

V - Catedral da Assunção



A Catedral da Assunção é a igreja mais antiga do Kremlin e também a mais importante: A sede da Igreja Ortodoxa Russa foi transferida para cá de Vladimir em 1326, tornando-se o centro do estado da Moscóvia, e Muscovy o mais poderoso do principados russos.

Aqui imperadores russos foram coroados  e antes deles czares e grão-duques. Patriarcas , metropolitanos, e bispos também foram consagrados aqui. Numa época em que o poder do Estado e religião eram pouco distintos, ele também era um centro de ritual do estado - um lugar onde decretos governamentais eram lidos e serviços oficiais estaduais eram realizados. Dentro da catedral, o assento do Patriarca e o Trono de Monomakh - esculpida em 1551 por Ivan, o Terrível - marcam as presenças físicas dos dois lados desta aliança histórica.

A catedral original foi construída durante o reinado de Ivan Kalita, cujo casamento estratégico com a filha do Tartar Khan trouxe Moscou para um lugar de destaque. Após um início de construção em 1472, um terremoto em 1474 e outro início, a igreja foi consagrada em 1479 pelo Metropolita Geronty e tornou-se uma das obras arquitetónicas mais influentes na história da igreja russa.

O edifício é simples e austero - um bloco de calcário abobadado encimado por cinco cúpulas douradas. Os afrescos triangulares nas faces leste e oeste foram adicionados na década de 1660, e de outra forma o exterior manteve-se praticamente inalterada até hoje.




No interior, o iconostasis da catedral data sobretudo do 1652, mas com vários ícones mais velhos dentro dele, incluindo dois atribuída ao mestre Dionísio, o mais famoso e talentoso pintor de sua época. 

A maioria dos afrescos da Catedral foram confeccionados em torno do  século XVII. 


Iconostasis
Cadeira do Patriarca

Ao longo dos séculos, a catedral sofreu junto com o povo da Rússia. As tropas de Napoleão usaram a catedral como estábulo durante sua campanha russa, e, em 1918, a Catedral foi danificada quando os partidos dos  brancos e bolcheviques trocaram tiros.

A última liturgia foi realizada na Páscoa de 1918 pelo Patriarca Tikhon, após o qual a Catedral foi fechada e seus tesouros requisitados pelos bolcheviques. No entanto, de acordo com rumores, quando as tropas nazistas chegaram nos arredores de Moscou, em 1941, Stalin secretamente permitiu um serviço liturgico de ser executado na catedral para salvar a nação do perigo mortal. A catedral foi reaberta ao público em 1990.

VI - Palácio Facetado


O palácio foi mandado construir, em 1487, pelo grão-príncipe Ivã III o Grande, como uma das primeiras construções de pedra do Kremlin, criado após uma série de incêndios que devastaram repetidamente a fortaleza, até essa data predominantemente de madeira.

A construção do Palácio das Facetas ficou a cargo de dois arquitectos italianos, Marco Ruffo e Pietro Antonio Solari, os quais tiveram grande influência no conjunto do Kremlin no decurso do seu trabalho na Rússia. 



Palacio Facetado, foto de Sakko em Wikimedia Commons


O palácio foi concluido em 1492 e serviu como o principal local de ralização das recepções solenes dos czares, cerimónias de coroação, banquetes, actos públicos e outras cerimónias semelhantes. 

Deste modo, ocorreram dentro das paredes do Palácio das Facetas eventos históricos bem conhecidos: em 1552, o Czar Ivã IV, o Terrível, comemorou lá, durante três dias, a sua vitória militar sobre o Canato de Cazã; em 1709, foi a vez de Pedro, o Grande, festejar a vitória sobre a Suécia na Batalha de Poltava; em 1721, foi ali comemorada a assinatura do Tratado de Nystad e o fim da Grande Guerra do Norte. 


Salão de Recepções do Palácio Facetado


Em 1654, o Palácio das Facetas foi ainda cenário de uma reunião do chamado Semski Sobor, onde foi decidida a posterior união da Ucrânia com a Rússia, que seria selada nesse mesmo ano, na cidade ucraniana de Pereyaslav, através da assinatura do Tratado de Pereyaslav.



VII - Catedral da Anunciação



A Catedral da Anunciação foi construída na Praça Sobornaya (Praça da Catedral) por arquitetos de Pskov em 1484-1489 . Foi erguido no local de uma catedral mais velha, uma igreja do tijolo triangular no estilo  dos primórdios de Moscou. 

Inicialmente, a Catedral da Anunciação teve três cúpulas (duas delas construídas em torno de 1572).  Em 1562-1564, quatro capelas laterais-cúpula única foram construídas ao longo dos pátios.

Ivan, o Terrível, teve de entrar na igreja pelo pórtico de entrada do sudeste, construída especialmente para ele. Isso porque ele foi casado três vezes  (para um total de seis esposas) e  portanto, segundo as regras da igreja ortodoxa, não tinha permissão para entrar na igreja através da sua entrada principal.






A Catedral da Anunciação foi construída originalmente como igreja doméstica dos grão-duques e czares e foi conectada (juntamente com a Catedral do Arcanjo) por passagens para os aposentos privados da família real. A catedral foi usada para celebrar casamentos, batizados e assim por diante.

A Catedral da Anunciação foi seriamente danificado durante a Revolução, quando o Kremlin foi atacado por fogo de artilharia. Em 1918, a catedral foi fechada como um local de culto e agora opera oficialmente como um museu.

VIII - Catedral do Arcanjo


O Arcanjo Miguel, que é o anjo lutador e protetor contra os males foi escolhido como o patrono dos governantes de Muscovy no século XIV.  A Catedral que leva seu nome foi erguida entre 1505 e 1508 - o ápice de um projeto de construção grandiosa iniciada por Ivan o Grande, para refletir o crescente poder do Estado, e proporcionar um lugar de descanso apropriado para a realeza russa.


A catedral foi construída sob a orientação do arquitecto italiano, Alevisio Novi, (Alionzo Lamberti da Montanyano). Novi criou uma estrutura altamente original por sobreposição de elementos de estilos arquitetónicos do Renascimento italiano com a forma tradicional do russo de cinco cúpulas e seis pilares. A fachada é decorada com cornijas, pilastras com capitéis, uma falsa arcada e muitos outros detalhes decorativos incomuns na arquitetura russa, enquanto  os enormes pilares que dividem o interior em três naves enfatiza a origem russa da estrutura do edifício.




Ao longo dos anos, a Catedral de Arcanjo sofreu várias alterações que alteraram sua aparência inicial. Mais significativamente, duas capelas foram adicionadas aos lados da catedral no final dos anos 1500, e a cúpula central da catedral, que anteriormente tinha sido redonda, foi substituída no século XVIII, por uma cúpula tradicional em forma de cebola.


IX - Grande Palácio 


O Grande Palácio do Kremlin foi construído no período de 1837 a 1849 por um time de arquitetos chefiados por Konstantin Thon. A intenção era enfantizar a grandeza da autocracia / realeza russa. Konstantin Thon também foi o arquiteto do Arsenal do Kremlin e da Igreja de Cristo Salvador. 

O Grande Palácio era antigamente  a residencia em Moscou do Tsar russo e hoje é a residencia presidencial. 




Interior do Grande Palácio


As cinco salas de recepção (Georgievsky, Vladimirsky, Aleksandrovsky, Andreyevsky, and Ekaterininsky) são em homenagem as cinco ordens do império russo: As Ordens de São George, Vladimir, Alexander, Andrew e Catherine. 


St Alexander Hall, Kremlin, foto de ID1974
Sala St. Andrew, kremlin, foto de ID1974



A sala de São George (Georgievsky Hall) é usada hoje para recepções diplomáticas e cerimonias oficiasi. Tratados Internacionais são assinados na sala Vladimir (Vladimirsky Hall ). Como exemplo, lá foi assinado em 01 de Junho de 1998, entre o Presidente Ronald Reagan e o secretário Geral Mikhail Gorbachev, a ratificação do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário.



St George Hall, Kremlin, foto de russia.ru
ST Vladimi hall, Kremlin, foto de russia.ru

X - Arsenal do Estado


O Arsenal do Kremlin foi criado como o arsenal real em 1508. Até a transferência da corte para São Petersburgo o Arsenal era responsável por produzir e armazenar as armas, jóias e artigos dométicos dos Czars. Em 1700, o Arsenal foi enriquecido com os tesouros das cãmras de ouro e prata dos tsares. 


Alexandre I da Rússia transformou o Arsenal como o primeiro museu público em Moscou em 1806, mas as coleções não foram abertas ao público até sete anos depois. O edifício atual do  arsenal foi construído em 1844-1851 pelo arquitecto imperial Konstantin Ton. 






Após a Revolução Bolchevique , a coleção do Arsenal foi enriquecida com tesouros extraídos das catedrais do Kremlin, da resdiência do Patriarca, dos mosteiros e colecções particulares. Alguns deles foram vendidos no exterior ao  mando de Joseph Stalin na década de 1930. 


Em 1960, o Arsenal tornou-se o museu oficial do Kremlin.Dois anos mais tarde, o Palácio do  Patriarca e a Catedral dos Doze Apóstolos foram submetidas ao Arsenal, a fim de abrigar o museu de artes aplicadas

a) Jóias

Livros do Tesouro Real
Coroa de Monomakh, século XIV



Coroa do Tsar Michael Fyodorovich de 1627

b) Carruagem


 Carruagem dois lugares, Imperatriz Elisabeth Petrovna, feita em Berlim em 1746


c) Vestidos



Vestido de Coroação
Vestido de Coroação, Imp. Catarina I, 1724



d) Armaduras


HELMET - "JERICHO CAP",1621
MIRROR ARMOUR (ZERTSALO)
Helmet of  YAROSLAV, sec XIII


XI - Visão a partir do Kremlin


Visão do rio Moskva a partir do Kremlin


XII - Referências

Wikipedia - Kremlin Moscow
Guia Visual da Folha de São Paulo - Moscou
Notas e fotos de Viagem - História com Gosto
Site Kremlin russo - http://www.kreml.ru/en-Us/museums-moscow-kremlin/

XIII - Outras publicações relacionadas

- Praça Vermelha em Moscou:
http://historiacomgosto.blogspot.com.br/2016/05/praca-vermelha-em-moscou.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário