sexta-feira, 6 de maio de 2016

Praça Vermelha em Moscou

I - A Praça Vermelha ou Praça Bonita




A praça vermelha é o coração de Moscou. É em torno dela que ficam os principais marcos históricos da cidade. É nela que se realizam os famosos desfiles militares. É uma das praças mais poderosas e charmosas do mundo. 

De um lado temos o Kremlim que significa fortaleza e é dentro dessa área fechada que foi inicialmente construída a cidade e onde atualmente ficam os principais escritórios  do governo russo. 

Do outro lado fica a maior rede de lojas (Shopping / Department Store) de luxo de Moscou, a GUM. Nela se encontram a maioria das principais marcas mundias de moda e eletrônicos.

Na entrada da Praça temos o Museu de História da Rússia que contém peças desde a pré-história da Rússia.

No final da praça a Catedral de São Basílio com suas capelas coroadas em forma de cebolas. 

A praça tem um comprimento de 500 m entre o portal de entrada e a saída por trás da catedral de São Basílio. 

Podemos dizer que Moscou literalmente gira em torno da Praça Vermelha. As linhas de Metrô são linhas circulares tendo como centro a praça vermelha.

As principais vias urbanas de Moscou são linhas radiais partindo da área central da praça vermelha como a Tverskaya.



Origem do Nome


O origem do nome "Praça Vermelha" não tem relação com a cor dos tijolos circundantes nem ligação entre a cor vermelha e o comunismo. Em vez disso, o nome surgiu porque a palavra russa красная ( Krasnaya ), que atualmente significa "vermelho", antigamente significava bonita. A Catedral de São Basílio é que foi inicialmente  chamada "bonita" (Krasnaya) o que depois foi expandido para toda a praça. Essa parece ser a versão mais aceita para o nome.


 Mapa da Cidade





O ponto onde se vê a palavra Moscou é justamente a área da Praça Vermelha.


II - Museu de História da Rússia




A gama de peças em exposição vai desde relíquias pré-históricas das tribos que habitaram o território russo até obras de arte inestimáveis adquiridas por membros da dinastia Romanov. O número total da coleção de objetos do museu é na casa dos milhões.




III - Kremlin


Cidadela dos Tsares, sede do governo da União Soviética e hoje residência do Presidente Russo, o Kremlim é há séculos um símbolo do poder do Estado. Em 1156, o príncipe Yuri Dolgoruky escolheu a confluência dos rios Moskva e Neglinaya para situar o primeiro Kremlim de Madeira. No fim do século XV o Tsar Ivã III convidou vários arquitetos italianos famosos para construir novos prédios suntuosos. Eles projetaram a Catedral da Assumção, o Palácio Facetado entre outros, numa fusão fascinante dos estilos russos e renascentistas. No período de Stalin (1930 a 1953) alguns mosteiros / igrejas foram demolidos. Eles foram reconstruídos após a sua morte. 




Os pontos de destaque para visita no Kremlim são as 5 igrejas orotodoxas, entre elas a Catedral da Assunção, o Arsenal do Estado com as jóias, trajes e carruagens do império, o Palácio Facetado, o maior Sino e o maior Canhão do mundo em exposição. Uma tarde inteira deve ser dedicada a essa visitação. 



Mausoléu de Lenin



Do lado de fora dos muros do Kremlim e na praça vermelha está situada o mausoléu de Lenin com seu corpo embasalmado. As grandes filas para visitação que eram formadas no período comunista hoje estão um pouco menores e formada majoritariamente por turistas. Existe ja um debate sobre a retirada do corpo desse local.


IV - Catedral de São Basílio / Catedral da Intercessão da Virgem Maria


Construída sob as ordens do Czar Ivan, o Terrível, como agradecimento pela conquista do Canato (principado) de Kazan em 1552, a primeira catedral foi construída em madeira e consagrada em 1554 com sete capelas.



Devido a sua vulnerabilidade a igreja resistiu pouco, e logo no ano seguinte foi ordenada a construção de uma nova catedral em pedra. Essa construção demorou de 1555 a 1561.


Como a Igreja original, o conceito foi construir um grupo de capelas, cada uma dedicada a cada um dos santos em cujo dia o Czar ganhou uma batalha, tendo uma torre central que unifica estes espaços em uma só catedral. A nova catedral tinha nove capelas.



Durante o período da construção da Igreja foi enterrado no local, em 1557, um apreciado profeta / sacerdote russo de nome Basílio. Devido a consagração de Basílio como santo em 1588, o Czar Feodor, mandou construir sobre o seu túmulo uma igreja, onde passaram a ser celebrados serviços litúrgicos.

Visão da Catedral à noite




Com o passar do tempo, a Catedral, agora com nove capelas e uma igreja, passou a ser conhecida como Catedral de São Basílio.

Em 1812, durante a invasão de Napoleão Bonaparte, o Czar Alexander II ordenou o incêndio completo de Moscou. Entretanto a catedral de São Basílio foi poupada tanto pelos russos como pelos franceses quando se retiraram.

No período do comunismo, mais precisamente no regime de Stalin, por diversas vezes foi cogitado a derrubada da catedral com as várias justificativas de melhoria da urbanização. Entretanto os defensores do patrimônio histórico conseguiram a sua preservação transformando-a em um museu do Estado.

Visão da Catedral de dia









Como parte do programa de ateísmo de Estado, a igreja foi confiscada da comunidade ortodoxa russa para fazer parte da União Soviética.  Ela tem funcionado como uma divisão do Museu Histórico do Estado desde 1928. Ela foi forçadamente  secularizada em 1929  e continua a ser uma propriedade federal da Federação Russa. Ainda nos dias de hoje ela funciona como museu. A partir de 1990 ela passou a ser considerada como Patrimônio Histórico Mundial pela UNESCO.

Mesto Lobnoe




Mesto Lobnoe é o nome de uma plataforma circular de alvenaria que acredita-se que foi construída na decada de 1530. Ela foi mencionada pela primeira vez em 1547, quando Ivan, o Terrível, usou-a para se dirigir aos moscovitas . Posteriormente, foi utilizado principalmente para anunciar o czar, e para cerimônias religiosas. Apesar de um equívoco comum, a própria plataforma circular nunca foi um lugar para as execuções





Monumento a Minin e Pozharsky



O monumento a Minin e Pozharsky é uma estátua de bronze na Praça Vermelha, em homenagem ao príncipe Dmitry Pozharsky e Kuzma Minin, que reuniu um exército de voluntários de toda a Rússia e expulsou as forças da Coalizão Polaco-Lituana sob o comando do rei Sigismundo III, pondo assim um fim aos conflitos da época em 1612.

O monumento foi concebido pela Sociedade Livre de amantes da Literatura, Ciência e as Artes para comemorar o 200º aniversário desses eventos



V - Loja de Departamento / Shopping GUM  


GUM que em russo significa (Glávnyj Universalnyj Magazin)  "Loja Principal Universal"  é uma cadeia de lojas, também chamada de Lojas de Departamento ou Shopping, situada na entrada da Praça Vermelha e que dá início ao bairro chamado Kitai Gorod.  

O prédio atual foi construído entre 1889 e 1893 , por encomenda de Catarina a Grande. Foi trazido um arquiteto italiano, Giacomo Quarenghi, que o projetou no estilo revivalismo russo,  com suas arcadas, grades de ferro batido e galerias de estuque com teto de vidro. 

Antes da revolução, esse prédio era conhecido como filas do comércio de cima,  e abrigou cerca de 1200 lojas. Na revolução o GUM foi nacionalizado  e planejado para servir como central de abastecimento para o consumo da União Soviética. Na maioria das grandes cidades russas também existem outros GUMs. 

O GUM de Mosocu continuou a ser usado como uma loja de departamento até que Joseph Stalin converteu-o em espaço de escritório em 1928 para a comissão encarregada do seu primeiro Plano Quinquenal.

Após sua reabertura como cadeia de lojas em 1953, o GUM era um dos poucos lugares onde se encontravam alguns produtos para adquirir. Apesar disso a escassez era enorme e longas filas se formavam por horas quando se anunciava que chegava algum lote novo de mercadorias. 

Ao final da era soviética o GUM foi completamente privatizado e hoje é um moderno shopping / department store, onde se encontram as maiores e melhores marcas mundiais de moda, eletrônicos, ...,.



                           Glávnyj Universalnyj Magazin (GUM) significa "Loja Principal Universal"



Catedral de Kazan


Essa catedral diminuta é uma réplica da original, demolida em 1936. A anterior havia sido consagrada em 1637 e abrigava o ícone da Virgem de Kazan, venerado por ter estado com o príncipe Dmitry Pojarsky em sua campanha vitoriosa contra os invasores em 1612. Ela foi reconsagrada pelo patriarca Alexei II na presença do Presidente Boris Yeltsin. O ícone da Virgem de Kazan é uma cópia pois o original foi roubado em 1904.







VI - Outras  visões da Praça



Praça no Inverno





Praça no verão





VII - Observação Geral


Devido ao grande conteúdo histórico, o Kremlim, a Catedral de São Basílio  e o  GUM, terão um post individual desse blog  para cada um deles, 

VII - Referências

- Guia Visual Folha de São Paulo
- Os Russos - 
- Wikipedia - Red Square Moscow
- Notas de viagem e fotos - HistoriacomGosto





Um comentário: