segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Igreja de Nossa Senhora da Guia - Lucena, Pb

I - Contexto Histórico

De acordo com os historiadores, os Carmelitas chegaram na Paraíba em 1591. Após fundarem a Igreja e o convento de Nossa Senhora do Carmo no centro de João Pessoa, iniciaram uma missão ao norte do rio Paraíba, no alto de uma colina onde existia uma população indígena. O objetivo era realizar um trabalho social e catequético com os nativos. O local escolhido está mostrado no mapa abaixo assinalado com a estrela amarela.




Verificamos  a posição estratégica da Igreja Nossa Senhora da Guia, justamente no encontro do rio Paraíba com o Oceano atlântico. No outro lado da Igreja encontra-se a cidade de Cabedelo onde foi fundado um forte em 1586, inicialmente chamado de Forte do Matos.

Fundação de João Pessoa


João Pessoa foi fundada em 5 de agosto de 1585 com o nome de "Cidade Real de Nossa Senhora das Neves". A cidade foi iniciada em uma colina às margens do rio Sanhauá um afluente do rio Paraíba como se vê na parte de baixo do mapa. O acesso a cidade era feito pelo rio Paraíba e o seu controle era protegido então pelo forte localizado em Cabedelo.



II - A construção da Igreja de Nossa Senhora da Guia



Visão frontal da Igreja Nossa Senhora da Guia

A construção da Igreja foi iniciada no final do século XVI e terminada em meados do século XVII. É uma construção em pedra caucárea realizada em estilo barroco. Na sua fachada estão representadas plantas silvestres e frutas típicas da região.






Entrada da Igreja                                                    Altar Principal

A imagem do altar foi obtida do site do Convento Carmelita Beato Eliseu Maneus http://interativa.pcp.org.br/

Restaurações

Em 1763 a Igreja foi praticamente demolida e reconstruída pelos esforços do frei  Manuel de Santa Tereza. A partir de 1866 sofreu reformas e ficou abandonada depois de um longo período. Com a saída dos Carmelitas em meados do século XIX o santuário ficou em ruínas e o convento existente foi demolido. No entanto, os fiéis continuavam a vir ao santuário para conhecer e render louvores a Deus. Na década de 1980 sob administração dos carmelitas, o instituto de patrimônio histórico e artístico nacional (IPHAN) restaurou a Igreja e urbanizou a área ao redor. A partir dessa época o santuário foi administrado pelos Carmelitas. Em 2004 passou para a administração da Diocese da Paraíba. Em 2008 com uma grande celebração comemorou-se a volta dos Carmelitas a Paraíba depois de 102 anos de ausência. O evento marcou também a abertura da nova comunidade da Província Carmelitana Pernambucana instalada no convento Beato Eliseu Maria Maneus na Guia, Lucena, Pb.

Atualmente o santuário está sob a adminsitração do frei Geraldo Bezerra de Souza, pároco Reitor, auxiliado pelo frei José Cláudio de Alencar Batista (Vigário). 



Vista lateral da Igreja


III - Visão Atual da Localização Estratégica da Igreja


Do alto da colina pode se ver, no outro lado do Rio Paraíba, a cidade de Cabedelo, onde localiza-se o Forte de Santa Catarina. Devido a essa visão o local foi eventualmente utilizado como posto de observação contra ataques inimigos.





Cemitério 

Em frente ao Santuário, desde o início do funcionamento deste, foi construído um cemitério para a região que até hoje é utilizado.


IV - Arredores da Igreja em Lucena


Descendo da colina, às margens do rio Paraíba, temos um Restaurante de Frutos do Mar que serve peixes e camarões muito saborosos. O restaurante chamado "O Pirata" é bastante simples mas oferece uma comida saborosa. é uma execelente opção para quem for conhecer a Igreja de Nossa Senhora da Guia.


                   Margens do Rio Paraíba                                   Restaurante próximo às margens do Rio


Restaurante "O Pirata" nas margens do Rio


V - Como Ir


A melhor maneira de ir visitar a igreja de Nossa Senhora da Guia é pegar uma balsa em Cabedelo para Lucena. As balsas partem a cada hora e o trajeto leva cerca de 30 minutos.





VI - Referências


- Documento da Paróquia Sagrado Coração de Jesus Menino, afixado na entrada do Santuário.





Nenhum comentário:

Postar um comentário