quinta-feira, 21 de junho de 2012

Terra Santa III - Belém, o vale do Jordão e o caminho para Jerusalém

I - Belém


Belém é atualmente uma cidade palestina, capital do governorado palestino, situada na Cisjordãnia e, apenas a 10 km de Jerusalém. Belém é uma cidade isolada por muros construídos por Israel e tem cerca de 30.000 habitantes, sendo cerca de 30 % cristãos e 70 % de palestinos. Belém é a cidade onde nasceu Jesus e por isso tem    uma das comunidades cristãs mais antigas do mundo. Historicamente, Belém, também, é a cidade onde nasceu David e onde ele foi coroado rei de Israel. Devido ao isolamento controlado por Israel, a atividade econômica em Belém é fundamentalmente baseada no turismo religioso originado das peregrinações cristãs.

"Mas tu, Belém-Efrata, tão pequena entre os clãs de Judá, é de ti que sairá para mim aquele que é chamado a governar Israel. Suas origens remontam aos tempos antigos, aos dias do longínquo passado." (Miquéias 5,1)




Belém localiza-se na estrada da montanha que desde os tempos antigos ligava as principais cidades do alto (Samaria, Siquém, Betel, Jerusalém e Hebron), em uma rota norte-sul. A localização de Belém, na borda do deserto, fez dela um lugar de encontro para fazendeiros, pastores, e os povos nômades do deserto.

Em hebraico Belém significa "casa do pão"; em árabe, significa "casa do alimento".

Os primeiros assentamentos, no local onde está a cidade de Belém, datam de 3000 a.C. Eles foram formados por tribos cananeias como os jebuseushititas e amaritas, que construíram pequenas cidades, cercadas por muralhas que as protegiam.  

Os gregos ocuparam essa região por dois seculos antes de Cristo até a chegada dos Romanos em 60 ac.

Na época do nascimento de Jesus, Belém era ocupada pelos romanos e assim permaneceu até o século V dc. Destaque especial se dá à época do  imperador Constantino, convertido ao cristianismo em 318 dc. A sua mãe Helena visitou a terra santa, identificando os locais sagrados e mandou construir, entre outras, a igreja da natividade, em 326 dc, em cima da gruta onde Jesus nasceu.

II - Belém - Igreja da Natividade


"Naqueles tempos apareceu um decreto de César Augusto, odenando o recenseamento de toda a terra. Este recenseamento foi feito antes do governo de Quirino, na Síria. Todos iam alistar-se, cada um na sua cidade. Também José subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada belém, porque era da casa e família de Davi, para se alistar com a sua esposa Maria, que estava grávida.

Estando eles ali, completaram-se os dias dela. E deu à luz seu filho primogênito, e envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria" Lucas 2, 1-7


entrada da igreja da natividade
capela ortodoxa


capela principal da igreja da natividade - piso superior

gruta sagrada - local onde nasceu Jesus
A Igreja da Natividade foi construída sobre a  Gruta da Natividade, na qual Jesus nasceu. No lado leste da gruta há um recanto circular, que contém uma grande estrela de prata, a qual marca o lugar onde, de acordo com a tradição, nasceu Jesus. A estrela possui quarenta pontos e uma inscrição em latim, cuja tradução é "AQUI NASCEU JESUS CRISTO DA VIRGEM MARIA". Sobre a estrela, estão penduradas quinze lâmpadas de prata, que representam as diversas comunidades cristãs. Contígua ao recanto circular está a santa manjedoura. Junto a ela há um altar  dedicado aos três reis magos que vieram venerar o menino Jesus.

A primeira igreja foi construída por Constantino no século IV. No sexto século o imperador bizantino, Justiniano, construiu uma nova igreja mais esmerada que a interior. No século VII quando os persas invadiram a terra santa, eles destruiram todas as igrejas cristãs, exceto a da natividade. Diz uma lenda que quando eles viram os mosaicos representando os reis magos vindos do oriente vindo prestar homenagem a Jesus, decidiram deixar a igreja intacta. No século XI os cruzados reformaram a igreja e muitos cristão vieram em peregrinação.

Em 1187 Saladino conquistou Jerusalém, e todos os seus arredores, mas permitiu que a Basílica continuasse aberta ao culto dos cristãos.

A igreja atual é a mesma do tempo de Justiniano com o acrescimo dos Cruzados. Em 1347 ela foi doada aos franciscanos. A partir de 1669 o espaço está sendo dividido com os gregos ortodoxos e armênios ortodoxos.

III - Basílica de Santa Catarina


Pátio da Igreja de Santa Catarina onde São Jerônimo viveu no século IV


Igreja de Sta Catarina - ao lado da Igreja da Natividade

Pátio da Igreja com Estátua de São Jeônimo
 Gruta de São Jerônimo

Fora da Basílica de Santa Catarina, localiza-se o Claustro de São Jerônimo. No quarto século, São Jerônimo iniciou aqui um mosteiro, e viveu. A sua obra principal foi a tradução da Bíblia para o latim e que é  conhecida como Vulgata. 

No nível inferior da igreja encontram-se a Capela dos Inocentes, a Capela de São José e a Sala de São Jerônimo.

gruta dos inocentes
gruta de são Jeronimo

IV - Belém - Campo dos Pastores

"Havia nos arredores uns pastores, que vigiavam e guardavam seu rebanho nos campos durante as vigílias da noite. Um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor refulgiu ao redor deles,e tiveram grande temor." Lucas 2, 8-10



Visita do anjo aos pastores
Igreja do campo dos pastores








A igreja atual foi reconstruída pelos Franciscanos  em 1950. O projeto representa uma tenda de pastores e a luz penetrando na igreja pelos vidros em seu domo relembra a luz que os pastores avistaram quando o anjo apareceu para avisar-lhes do nascimento de Jesus.


Domo da igreja com vidros para entrada da luz

V - Gruta do Leite


Todo bom peregrino que passa por Belém, não deixa de visitar a Gruta do Leite. Segundo a tradição oral, a Mãe de Jesus escondeu-se nesta gruta para amamentar o Menino, antes de partir para o Egito. Um dia, enquanto lhe amamentava, caiu-lhe uma gota de leite do peito, que transformou as rochas pretas em rochas brancas. Por aqui, passam inclusive mães muçulmanas para tocar estas rochas na busca de um milagre. O lugar é um santuário, que também está guardado pelos franciscanos.

Gruta do Leite, foto de Renata Sedmakova em Shutterstock.com

VI - Presença Franciscana em Belém

 Os franciscanos estão na terra santa desde 1217, tempo de seu fundador e pai. Em 1219, o próprio São Francisco quis visitar pelo menos uma parte da Província da Terra Santa. Os documentos que relatam a presença do "Pobrezinho de Assis" entre os Cruzados, sobre os muros de Damieta, são de conhecimento de todos. Como também é conhecido o encontro de São Francisco com o Sultão Egípcio, Melek-el-Kamel, neto de Saladim o Grande. Os mesmos documentos relatam que Francisco depois de ter deixado Damieta dirigiu-se a Síria.

De qualquer modo, a visita de São Francisco aos Lugares Santos se deu entre 1219 e 1220. Referente a isto Jacques de Vitry, bispo de São João de Acre (cidade conhecida como Tolemaida), escreveu: “O mestre desses frades, que é também o fundador da Ordem, chama-se Francisco. É amado de Deus e venerado por todos os homens. Veio ao nosso exército cheio de zelo pela fé. Não teve medo de passar até o campo dos inimigos”.


Em 1342, o Papa Clemente VI publicou a Bula "Gratia agimus" concedendo a custódia dos Lugares Sagrados na Terra Santa, aos filhos de São Francisco.  Em Belém eles estão no convento construído pelos cruzados para a ordem Agostiniana desde 1333. O mosteiro fica ao lado da Igreja de Santa Catarina. Nessa igreja é celebrada tradicionalmente  a missa de Natal transmitida para o mundo inteiro.

VII - Visitas de Papas a Belém

- João Paulo II visitou Belém em 23/03/2000 - Rezou uma missa na praça da manjedoura, meditou na gruta da natividade e beijou um punhado de terra pela qual os palestinos lutam há anos.  "Ninguém pode ignorar quanto o povo palestino teve de sofrer nas últimas décadas. Seu tormento está diante dos olhos do mundo. E ele já foi longe demais. De modo especial, minhas orações estão com aqueles palestinos - muçulmanos e cristãos -- que ainda estão sem uma casa que lhes pertença, um lugar adequado na sociedade e a possibilidade de um trabalho normal".


Bento XVI visitou em 13 de maio de 2009.    Segundo informações do diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, a visita à igreja da Natividade foi marcada por um breve, mas intenso momento de oração. Primeiramente, Bento XVI rezou diante do altar da Natividade e, depois, diante da Gruta da Manjedoura. Ainda durante sua estada em Belém, o Papa Bento XVI afirmou que a Santa Sé apoia categoricamente o direito dos palestinos a um Estado "na terra de seus antepassados, seguro, em paz com seus vizinhos e com as fronteiras reconhecidas internacionalmente".



VIII - Vale do Jordão


Seguindo o vale do Jordão, Jesus passou por Jericó e seguiu para Jerusalém para enfrentar a sua maior oposição: Os guardiões do templo, os chefes dos escribas e os grandes sacerdotes das religiões. Jesus sabia que para libertar o povo, trazendo nova esperança e um conceito novo de religião baseado no amor ao próximo, fazia-se necessário balançar as estruturas de poder existentes. Para isso ele sai da região do mar da galiléia e segue pelo vale do Jordão. Esse percurso tem em torno de 140 km.


Exibir mapa ampliado


IX - Jericó e a montanha das tentações

"Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, onde foi tentado pelo demônio durante quarenta dias. Durante este tempo ele nada comeu e, terminados estes dias, teve fome." Lucas 4, 1-2

montanhas de Jericó
monte das tentações - Jericó














A cidade de Jericó tem alguns aspectos muito importantes. Ela é considerado pelos historiadores, como a cidade mais antiga do mundo. Lá os arqueologistas encontraram traços de civilizações de cerca de 8.000 anos antes de Cristo. Isso leva a uma estimativa de que a cidade já existia por volta de 10.000 anos a.c.. Outro ponto de destaque é que ele se situa a cerca de 500 m abaixo do nível do mar. Sendo provavelmente, o lugar de menor profundidade ainda habitado.

Apesar de seu aspecto desértico, Jericó tem água em abundancia e um clima sub-tropical com um solo extremamente fértil, ideal para o cultivo de flores e frutas tropicais, como manga, mamão e banana

Foi em Jericó, que Jesus caminhando por entre a multidão avistou o pequenino Zaqueu, conforme relatado por Lucas.

"Jesus entrou em Jericó e ia atravessando a cidade. Havia aí um homem muito rico chamado Zaqueu, chefe dos recebedores de impostos. Ele procurava ver quem era Jesus, mas não o conseguia por causa da multidão, porque era de baixa estatura. Ele correu adiante, subiu a um sicômoro para o ver, quando ele passasse por ali. Chegando Jesus àquele lugar e levantando os olhos, viu-o e disse-lhe. "Zaqueu, desce depressa, porque é preciso que eu fique hoje em tua casa." Lucas 19, 1-5


cidade de Jericó
Cerca de 3000 a.c., Jericó era uma importante cidade cananéia. Ela foi a primeira cidade que os Israelitas conquistaram, por volta de 1.250 a.c.,.



X - Qumram

   Khibert Qumram tornou-se mundialmente conhecida  a partir de 1940, quando beduinos e arqueologos descobriram cavernas contendo centenas de rolos do período do Segundo Templo. Esses rolos ficaram conhecidos como "Manuscritos do Mar Morto". Os documentos escritos sobre papiros pergaminhos foram escondidos em vasos e preservados pos, aproximadamente, dois mil anos. A coleção de rolos incluia livros da Biblia Hebraica, comentários sobre as escrituras e outros. O documento mais famoso é o Rolo de Isaías, que é mil anos mais antigo que a cópia até então conhecida.

Cavernas de Qumram

Muitos acreditam que os Essênios, membros de uma seita judaica, ocupavam esse lugar e teriam sido os rsponsáveis pela cópia e composição dos escritos do mar morto. Atualmente pode se ver trechos dos pergaminhos no Museu do Livro em Jerusalém.










XI - Mar Morto

O mar morto na realidade é um lago de água salgada alimentada pelo rio Jordão. Ele tem esse nome devido a sua alta salinidade, cerca de dez vezes maior que os outros oceanos, e que não permite a sobrevivência de praticamente nenhuma vida marinha. Com um comprimento de cerca de 80 km e largura de 18 km, ele banha Israel e Jordânia. Situado em um nível cerca de 417 metros abaixo do nível médio do mar mediterrâneo, é o ponto de maior depressão do mundo.

mar morto (1)
mar morto (2)
mar morto (3)
Devido a sua alta salinidade, que aumenta densidade da água, os banhistas podem boiar facilmente na sua superfície, sendo essa uma das atrações do lugar. Um outro ponto forte é que a composição de sua água apresenta alguns minerais que somente são encontrados nesse lugar. Esses tipos de minerais são utilizados para a composição de cosméticos e cremes de beleza que são muito procurados em todo mundo.

mar morto (4)
mar morto (5)









  --





XII - Informações Importantes

O Mar Morto, Qumram e Jericó são acessíveis de Belém ou  Jerusalém e pode se tomar um passeio de 01 dia a partir de qualquer cidade. Entretanto, é muito importante prestar atenção as seguintes questões:

a) Belém e Jericó são cidades sob controle da Autoridade Palestina.
b) As duas cidades são cercadas por muros e tem a sua entrada e saída controlada sendo necessário apresentação de passaportes.
c) Os ônibus de peregrinação religiosa, e os de turismo, tem acesso facilitado, mas tem que parar na fronteira para averiguação.
d) A estrada para Qumram e mar morto tem livre acesso e não precisa de permissão. Carros israelenses e palestinos podem trafegar.
e) Em Belém e em Jericó, não é permitida a entrada de israelenses ou carros israelenses.
f) Se você estiver em Jerusalém, para visitar Belém tem que pegar um ônibus palestino, ou táxi palestino, na porta de Damasco. Caso contrário o táxi israelense parará na muro de Belém e você terá que ir a pé.
g) Se você estiver em Jerusalém e quiser ir a Jericó, terá que ser com táxi ou guia palestino.

Particularmente para circular nessa região com maior segurança e maior proveito eu aconselho a visita com uma excursão de "peregrinação religiosa" que tem trânsito fácil em todas as regiões e melhor conhecimentos das regiões seguras.



XII - Referências Bibliográficas:

Biblia Sagrada - edição Ave Maria
The Holly Land - The land of Jesus - editora Palphot
Terra Santa - Seguindo os passos de Jesus - Etty Boochny Mendelbaum
Wikipedia.org.br - Belém e Mar Morto
www.vatican.va - Visitas papais à Terra Santa
Fotos do Mar Morto - www.fotolia.com
Presença Franciscana e lugares sagrados - www.comissariadoterrasanta.com.br
Informações próprias de viagem.
Fórum de especialistas do tripadvisor


XIII - Sequência do Blog

Anterior Blog: Terra Santa II - Lago de Tiberíades e Cafarnaum
Próximo Blog: Final: Terra Santa IV - Jerusalém - Morte e Ressurreição de Jesus


3 comentários:

  1. Parabéns!!
    Verdadeira aula viva, de uma história que continuará por todas as gerações.
    Voltei no tempo através destes relatos e fotos da Terra Santa.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns muito boa descrição ! adorei !

    ResponderExcluir